Locutor no Ar

Peça Sua Música

Ouvinte do Mês

DJ BS
DJ BS
Facebook Twiiter  Instagram

Enquete

Xat


Últimas Notícias

"É uma evolução tamanha, muito grande, em pouco tempo e todos, qualquer interveniente desportivo à volta do futebol feminino percebe que Portugal está em boas mãos, as coisas estão a ser bem feitas e há que dar continuidade a esse processo", transmitiu a avançada, internacional por 108 ocasiões por Portugal.

Jéssica Silva manifestou o seu agrado por participar na integração das novas jogadoras que trabalham pela primeira vez na seleção principal portuguesa, assinalando a sua qualidade e importância para o futuro da equipa nos mais elevados patamares do futebol feminino internacional.

"O professor, o nosso selecionador, tem procurado sempre dar oportunidades às miúdas mais novas. Isto é um espaço aberto, de excelência, mas a verdade é que o futebol em Portugal está a evoluir, temos cada vez mais miúdas e raparigas a jogar e com muita qualidade", atestou a experiente jogadora portuguesa.

Jéssica Silva encarou com naturalidade a cada vez maior diversidade existente na equipa, reforçada com a presença de um total de 30 jogadoras oriundas de nove campeonatos nacionais diferentes, pelas particularidades do jogo de cada atleta.

"Acho que cada jogadora acrescenta, de alguma forma, ao grupo. Independentemente dos campeonatos que estejamos a disputar, cada uma de nós aporta algo diferente e o que o professor Francisco tenta fazer é potenciar as diferentes capacidades de cada uma", explicou, considerando que a equipa apenas beneficia dessa realidade.

A atacante de 29 anos assegurou ainda estar fisicamente preparada para a exigente segunda fase que terá pela frente não apenas no âmbito da seleção nacional, que dentro de poucas semanas iniciará a fase de apuramento para o Euro 2025, como também no clube que representa, o Benfica, que está envolvido em quatro frentes -- campeonato nacional, Taça da Liga, Taça de Portugal e Liga dos Campeões.

"Nós, a minha equipa, o Benfica, tem um calendário meio apertado, com jogos de exigência elevada, mas lá está, isto é o futebol, é aquilo a que estamos sujeitas e queremos é jogar e estar lá dentro", salientou Jéssica, que integrou a sessão de treino da equipa nacional, que contou com as 23 jogadoras convocadas, todas fisicamente disponíveis.

Portugal cumpre um estágio na Cidade do Futebol, em Oeiras, que integra dois jogos, tendo já derrotado a República Checa (3-1), no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril, palco no qual irá defrontar no dia 27 de fevereiro, terça-feira, pelas 18:15 horas, a Coreia do Sul.

 

"Atualmente, um compromisso não é sinónimo de entrega, 50% (destes) compromissos não são cumpridos a tempo. [Por causa destes atrasos] estamos a perder pessoas e territórios", afirmou o governante durante um fórum dedicado ao segundo aniversário da invasão russa da Ucrânia.

O exército ucraniano, confrontado com uma situação extremamente difícil na frente, acaba de se retirar da 'cidade-fortaleza' de Avdivka (Leste), após meses de duros combates, alegando falta de homens e munições.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, apelou repetidamente aos aliados ocidentais nos últimos dias para que entreguem ajuda militar "a tempo".

Zelensky pediu, em particular, munições, mais sistemas de defesa aérea e aviões de combate.

"Sabem muito bem o que precisamos para proteger os nossos céus, para fortalecer nosso exército terrestre, o que precisamos para sustentar e continuar nosso sucesso no mar, sabem muito bem que precisamos disso a tempo, e contamos convosco," disse Zelensky no sábado durante uma reunião virtual do G7.

O presidente ucraniano também estimou que os atrasos nas entregas de armas contribuíram para o fracasso da contra-ofensiva de Kiev no verão de 2023.

"No ano passado, durante a contra-ofensiva, tivemos muitas coisas muito úteis, muitas coisas muito importantes, mas nem todas chegaram a tempo", disse.

A invasão da Ucrânia pela Rússia, lançada em 24 de fevereiro de 2022, mergulhou a Europa na que é considerada a crise de segurança mais grave desde a II Guerra Mundial (1939-1945).

Os aliados ocidentais da Ucrânia têm fornecido armamento a Kiev e aprovado sucessivos pacotes de sanções contra interesses russos para tentar diminuir a capacidade de Moscovo de financiar o esforço de guerra.

O conflito, que entra agora no terceiro ano, provocou a destruição de importantes infraestruturas em várias áreas na Ucrânia, e um número por determinar de vítimas civis e militares.

Leia Também: Reino Unido pede mais coragem na apreensão de ativos russos congelados

Um bebé palestiniano, de apenas dois meses, morreu de fome no norte de Gaza, dias depois de a Organização das Nações Unidas (ONU) ter alertado para uma "explosão" de mortes de crianças devido ao conflito armado no enclave.

Segundo a agência de notícias Shehab, Mahmoud Fattouh morreu no Hospital al-Shifa, na cidade de Gaza, na sexta-feira, reporta a Al Jazeera.

O menor estava muito magro, sem forças, a suster a respiração numa cama de hospital.

Segundo um dos paramédicos que levou o menino para o hospital, Mahmoud morreu de desnutrição aguda.

"Vimos uma mulher com o seu bebé ao colo, a gritar por socorro. O seu bebé pálido parecia estar a dar o último suspiro. Levámo-lo para o hospital e verificou-se que sofria de desnutrição aguda. O pessoal médico levou-o para a unidade de cuidados intensivos. O bebé não era alimentado com leite há dias, uma vez que o leite para bebés é totalmente inexistente em Gaza", revelou o profissional de saúde.

A morte de Mahmoud ocorreu num momento em que o governo israelita - que lançou o seu ataque a Gaza na sequência dos ataques dos combatentes do Hamas em outubro - continua a ignorar os apelos mundiais para que seja permitida a entrada de mais ajuda no enclave palestiniano.

A ONU afirma que cerca de 2,3 milhões de pessoas estão atualmente a morrer de fome em Gaza.

Pelo menos 90% das crianças com menos de cinco anos em Gaza são afetadas por uma ou mais doenças infeciosas, enquanto uma em cada seis crianças com menos de dois anos de idade na parte norte do território sofrem de subnutrição aguda.

"A Faixa de Gaza está prestes a assistir a uma explosão de mortes infantis evitáveis, o que agravaria o nível já insuportável de mortes de crianças em Gaza", afirmou Ted Chaiban, diretor executivo adjunto da UNICEF, num comunicado divulgado na semana passada.

"Há semanas que temos vindo a alertar para o facto de Gaza estar à beira de uma crise nutricional. Os problemas de saúde vão afetar as crianças de Gaza para o resto das suas vidas e terão potenciais consequências intergeracionais", afirmou ainda.

De recordar que Israel cortou todo o abastecimento de alimentos, água e combustível a Gaza no início da guerra, tendo aberto uma entrada para ajuda humanitária em dezembro.

Quando os bens essenciais chegam a Gaza, os trabalhadores humanitários não conseguem recolher os produtos ou distribuí-los devido à falta de segurança que se vive no enclave. Situação essa que é particularmente mais grave no norte da Faixa de Gaza, que está quase completamente sem ajuda desde o final de outubro.

Os médicos descreveram a situação como "para lá de catastrófica".

O diretor do Hospital Kamal Adwan, Hussam Abu Safiya, já tinha dito anteriormente que estava a assistir a "muitas" mortes de crianças, especialmente de recém-nascidos.

"Os sinais de fraqueza e palidez são visíveis nos recém-nascidos porque a mãe está malnutrida. Infelizmente, muitas crianças morreram nas últimas semanas... se não recebermos a ajuda adequada com urgência, estaremos a perder cada vez mais devido à desnutrição", disse Abu Safiya à Al Jazeera.

Mais de quatro meses de guerra conduziram a Faixa de Gaza à pior catástrofe humanitária da sua história e a níveis de destruição sem precedentes, com cerca de 80% das infraestruturas civis danificadas, incluindo casas, hospitais, escolas e instalações de água e saneamento, segundo dados da ONU.

O Programa das Nações Unidas para o Ambiente estima que serão necessários entre três e 12 anos para limpar apenas os escombros e os restos explosivos da guerra, e que serão necessárias dezenas de milhares de milhares de pessoas para limpar os escombros e os restos explosivos da guerra.

Mais de 29.600 habitantes de Gaza foram mortos e mais de 69.700 ficaram feridos em mais de quatro meses de guerra na Faixa de Gaza, que começou em 7 de outubro depois de um ataque do Hamas em solo israelita que deixou cerca de 1.200 mortos e 250 raptados.

Leia Também: Pelo menos 86 mortos na Faixa de Gaza nas últimas 24 horas

Numa prova que chegou a liderar na passagem do derradeiro testemunho, a equipa lusa, formada por Ricardo Batista, Melanie Santos, Vasco Vilaça e Maria Tomé, terminou em segundo, com um tempo de 1:13.44 horas.

A Austrália venceu a prova, com um tempo de 1:13.36 horas, com a Itália a ficar com a medalha de bronze, com 1:13.57.

"Este era o grande objetivo no início da temporada, tentar colocar a equipa mais alto no ranking. Estávamos a lutar por um top 5, mas no final conseguir lutar pelo pódio foi fantástico, não posso estar mais feliz com o segundo lugar", disse Vasco Vilaça, que apenas esteve na Nova Zelândia para participar na estafeta, não tendo corrido a prova individual.

Leia Também: Ex-Boavista está em coma induzido e Kylian Mbappé já reagiu

Uma das notícias que está a dar que falar (ainda que não pelos bons motivos) em França e até no mundo prende-se ao internamento de Alberth Elis, na noite deste domingo, após ter perdido os sentidos devido a um choque de cabeças no Bordeaux-Guingamp, de tal forma que até Kylian Mbappé já reagiu ao incidente.

"Todos os meus pensamentos positivos estão contigo, Alberth Elis", escreveu o avançado do Paris SG, que tem visto o seu futuro ser cada vez mais associado ao Real Madrid.

De referir que o ex-Boavista teve de abandonar o encontro deste sábado com apenas dez minutos decorridos, tendo sido diagnosticado com um traumatismo cranioencefálico.

Recorde-se que o clube axadrezado já reagiu a um dos temas do momento, desejando as rápidas melhores ao avançado que apontou oito golo e sete assistências em 32 jogos realizados pelo emblema do Bessa, em 2020/21.

 

Notícias ao Minuto [Legenda]© Reprodução Instagram Kylian Mbappé  

Leia Também: Mbappé no Real Madrid 'preso' por detalhe. Vem aí 'chuva de milhões'

Leia Também: Lenda espanhola aprova Mbappé no Real Madrid: "Melhor do que Haaland"

Leia Também: Luis Enrique comenta saída de Mbappé: "Não vejo nenhuma diferença..."

Melissa McCarthy e Billie Eilish foram as responsáveis para entregar o prémio de Melhor Atriz em Série de Comédia a Ayo Edebiri, pelo trabalho da atriz em 'The Bear'. Mas antes protagonizaram um dos momentos altos da noite.

Depois de recordar Billie Eilish de que já se tinham cruzado três vezes e que a cantora conheceu as suas filhas e um dos seus patudos, Melissa McCarthy revelou que têm uma 'ligação' antiga. 

A atriz contou que a mãe de Billie foi sua professora e que na altura estava grávida da cantora. "Conheci-te no útero", afirmou. 

A dada altura, Melissa McCarthy pediu um autógrafo a Billie Eilish no seu vestido, mas a cantora não quis estragar-lhe o look. Assim sendo, a atriz sugeriu um autógrafo no seu rosto... e o pedido não foi recusado.  

Leia Também: Matthew Perry e Tina Turner entre os homenageados nos SAG Awards

Leia Também: As estrelas e os looks escolhidos para os SAG Awards 2024

Thompson, 40.º do ranking mundial, derrotou o vencedor do último Estoril Open, atualmente no 12.º posto da hierarquia mundial, por 6-3 e 7-6 (7-4), em duas horas e três minutos.

Para Thompson, de 29 anos, este foi o primeiro título de um torneio ATP, depois de ter perdido duas vezes a final em 's-Hertogenbosch, em 2019 e 2023.

No final de uma semana perfeita para Thompson, o australiano ainda conquistou o torneio de pares, ao lado do compatriota Max Purcell.

Os australianos derrotaram o equatoriano Gonzalo Escobar e o cazaque Aleksandr Nedovyesov, por 7-5 e 7-6 (7-2), em uma hora e 39 minutos.

Ruud, que eliminou o português Nuno Borges nos quartos de final, continua sem ganhar qualquer título desde que venceu no Estoril em 2023, sendo a terceira final perdida desde então, uma das quais em Roland Garros.

Leia Também: Tanto dinheiro para nada? Eis os 'tubarões' europeus com mais despesas

Duas igrejas do concelho de Águeda, no distrito de Aveiro, foram assaltadas na noite de sexta-feira para sábado, situação "já em investigação" que está a motivar "algum alarme social na zona", disseram hoje à Lusa várias fontes.

Os assaltos ocorreram na igreja da paróquia de Ois da Ribeira e na de Paradela, na paróquia de Espinhel, conforme descreve o pároco Júlio Grangeia numa publicação no Facebook.

Contactada pela Lusa, fonte da GNR de Águeda confirmou as ocorrências e avançou que está marcada para segunda-feira uma reunião para "aprofundar a investigação".

"Estivemos no local na noite de sexta-feira para sábado e agora vamos aprofundar a investigação, inclusivamente com uma reunião com o presidente da Junta de Freguesia de Travassô porque estas ocorrências, e outras eventualmente não denunciadas, estão a gerar algum alarme social", disse à Lusa fonte da GNR de Águeda.

A reunião servirá, acrescentou, para "traçar o perfil de eventuais suspeitos e elencar eventuais outros assaltos na zona não denunciados".

O valor do material furtado e dos danos nas igrejas estão a ser apurados.

Contactado pela Lusa, o pároco Júlio Grangeia relatou estragos nas portas principais, fechaduras e no interior das sacristias.

"Levaram pouca coisa, umas moedas velhas inclusivamente, mas deixaram prejuízo. O maior problema é que isto está a repetir-se como me contaram os senhores da GNR quando cá estiveram. Isto é algo que naturalmente, me preocupa", disse Júlio Grangeia.

Na publicação na rede social, o pároco descreveu que as portas da igreja de Ois da Ribeira foram arrombadas e revolvidas todas as gavetas.

"Foi uma noite de muitos assaltos segundo a GNR. Os gatunos arrombaram portas. A exterior e uma interior que dá para a sacristia. Dentro da sacristia, foram revolvidas todas as gavetas tendo os gatunos levado consigo vários porta-moedas vazios além de um outro com poucas moedas, muitas das quais fora de circulação (...). Mais do que o que roubaram foi o prejuízo deixado", escreveu o pároco.

Sobre o assalto à igreja de Paradela, o pároco descreveu que foi forçada a porta da arrecadação da Irmandade de São Pedro, e remexido "tudo quanto encontraram".

Leia Também: Suspeitos de assalto a ourivesaria obrigados a apresentações diárias

O Observatório do Futebol (CIES) divulgou, este sábado, a lista dos 10 clubes com o pior índice de despesas líquidas relacionadas com transferências nas últimas dez temporadas, já depois de ter apresentado um estudo contrário, com valores positivos, a destacar Benfica, Sporting e FC Porto.

Das duas mãos cheias de exemplos mais significativos, sete clubes são ingleses (destacando-se Manchester United e Chelsea, até pelos resultados pouco vistosos que têm registado), juntando-se ainda um francês, um espanhol e um italiano.

Percorra a galeria e espreite os clubes com as balanças de investimento mais negativas.

 

Leia Também: Benfica é 'rei' das transferências e supera Sporting e FC Porto... juntos

"Temos de ser mais corajosos na apreensão das centenas de milhares de milhões de ativos russos congelados", escreveu o chefe do Governo britânico, Rishi Sunak, num artigo de opinião publicado pelo Sunday Times para assinalar o segundo aniversário da invasão russa à Ucrânia.

"Começa-se por pegar nos milhares de milhões de juros que estes ativos geram e enviam-se para a Ucrânia", defende Rishi Sunak. "E depois, com o G7, temos de encontrar formas legais de confiscar os ativos e enviar também esses fundos para a Ucrânia", acrescentou.

"Seria um tributo à luta de Alexei Navalny para responsabilizar o Estado russo pelas suas ações", acrescentou, referindo-se ao opositor de Vladimir Putin que morreu recentemente numa prisão no Ártico russo.

No comunicado divulgado no sábado, no final de uma cimeira virtual sob presidência italiana, os líderes do G7 pediram aos seus Governos para que continuem a trabalhar "em todas as formas possíveis de utilizar os bens soberanos russos para apoiar a Ucrânia, em conformidade com os respetivos sistemas jurídicos e com o direito internacional".

Reafirmam que "os ativos soberanos russos nas (suas) jurisdições permanecerão congelados até que a Rússia pague pelos danos causados à Ucrânia".

Em 30 de janeiro, a União Europeia - que congelou 200 mil milhões de euros de ativos do Banco Central russo - chegou a acordo sobre a primeira fase de um plano para afetar as receitas geradas pelos ativos russos congelados à reconstrução da Ucrânia.

A opção de confiscar esse dinheiro e de o afetar aos esforços de reconstrução da Ucrânia foi excluída, com o argumento de que isso prejudicaria os mercados internacionais e enfraqueceria o euro.

Após a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022, as sanções económicas sem precedentes contra Moscovo levaram ao congelamento, pelos bancos ocidentais, de cerca de 350 mil milhões de dólares em ativos públicos russos, divisas e propriedades pertencentes a oligarcas russos.

De acordo com uma estimativa publicada há duas semanas pelo Banco Mundial, a ONU, a União Europeia e o Governo ucraniano, a Ucrânia precisará de 486 mil milhões de dólares para a sua recuperação e reconstrução.

Leia Também: Von der Leyen e Sunak exigem prioridade na proteção de civis em Gaza

O Bayern publicou um vídeo, este domingo, a dar conta dos dois 'reforços' que Thomas Tuchel recebeu para a preparação do próximo jogo no campeonato, frente ao Briburgo, seguindo-se o duelo diante da Lazio, na Liga dos Campeões.

Alphonso Davies e Sèrge Gnabry já recuperaram das respetivas lesões e surgiram, assim, no relvado, em exercícios com bola, após algumas semanas de afastamento.

Veja o vídeo.

Leia Também: Harry Kane vira herói e mantém Bayern Munique vivo na luta pelo título

Desde o início da guerra no enclave, a 07 de outubro, morreram 29.692 pessoas e 69.879 ficaram feridas na Faixa, segundo o balanço do ministério da Saúde, além de cerca de sete mil corpos ainda presos sob os escombros.

"Várias vítimas ainda estão sob os escombros e nas estradas, e a ocupação impede que as ambulâncias e as equipas de proteção civil cheguem até elas", declarou o ministério.

Mais de 70% das vítimas mortais são civis, incluindo mais de 13 mil crianças, para além das 17.000 crianças que perderam um ou ambos os pais, segundo dados do governo do Hamas.

A agência noticiosa oficial palestiniana Wafa informou que vários civis foram mortos por ataques da artilharia israelita na cidade de Khan Younis, a principal cidade do sul da Faixa de Gaza onde os combates se concentram desde dezembro, bem como no bairro de Sabra, na cidade de Gaza, onde Israel retomou as operações depois de ter declarado a zona sob controlo israelita em janeiro.

Um palestiniano foi morto e vários ficaram feridos num ataque aéreo a uma residência no bairro de Shaaf, na zona oriental da cidade de Gaza, enquanto drones israelitas dispararam contra outros bairros da zona oriental da cidade, informou a agência.

A agência noticiosa relatou também a ocorrência de "fortes explosões" no bairro de Zaytun, no sul da cidade de Gaza, onde as operações israelitas são agora mais intensas no norte da Faixa de Gaza e os tanques israelitas retomaram a sua ofensiva terrestre na zona, após semanas de retirada parcial.

O exército israelita anunciou hoje operações tanto em Khan Younis, como em Zaytun, onde afirmou ter encontrado armas, desmantelado "infra-estruturas terroristas" e eliminado várias células.

A Wafa informou ainda que dois palestinianos foram mortos e quatro ficaram feridos em bombardeamentos israelitas no campo de refugiados de Shati, na zona ocidental da cidade de Gaza.

O número de 86 mortos num dia na Faixa de Gaza representa uma ligeira descida, depois de raramente ter descido abaixo dos 100 por dia nos últimos meses, com mais de 300 mortos por dia nas primeiras semanas da guerra, uma ligeira descida que ocorre enquanto Israel e o Hamas negoceiam indiretamente um possível acordo de tréguas.

Mais de quatro meses de guerra conduziram a Faixa de Gaza à pior catástrofe humanitária da sua história e a níveis de destruição sem precedentes, com cerca de 80% das infraestruturas civis danificadas, incluindo casas, hospitais, escolas e instalações de água e saneamento, segundo dados da ONU.

O Programa das Nações Unidas para o Ambiente estima que serão necessários entre três e 12 anos para limpar apenas os escombros e os restos explosivos da guerra, e que serão necessárias dezenas de milhares de milhares de pessoas para limpar os escombros e os restos explosivos da guerra.

Leia Também: Trégua em Gaza? Gabinete de guerra de Israel envia delegação ao Qatar

A 30.ª gala dos SAG Awards que decorreu esta madrugada, em Los Angeles, homenageou alguns dos artistas que morreram no ano passado. 

Matthew Perry, Tina Turner, Chita Rivera, Angus Cloud, Andre Braugher, Lance Reddick, Ron Cephas Jones e Christian Oliver foram alguns dos nomes que receberam um tributo neste espaço dedicado a quem já partiu, 'In Memoriam', como destaca a People. 

Naomi Watts foi quem apresentou este momento da gala, tendo lamentado a partida de "tantos atores extraordinários" no ano passado e enaltecido o "talento" de todos. "A memórias deles permanecerá viva", acrescentou. 

Leia Também: As estrelas e os looks escolhidos para os SAG Awards 2024

Leia Também: 'Oppenheimer' cimenta favoritismo ao vencer Prémios do SAG Awards

Leia Também: 'Succession' e 'The Bear' conquistam (quase) tudo em TV nos SAG Awards

Instantes após a vitória do Palmeiras frente ao Mirassol (3-1), este sábado, Abel Ferreira enalteceu um cântico que habitualmente se ouve nas bancadas em torno da "equipa da virada e do amor" e deixou ainda elogios ao seu adversário no campeonato paulista.

"Há que agradecer aos adeptos porque ajudam muito. Quando sofremos o golo, cantaram a nossa música em que dizem que somos a equipa da virada e do amor. Sei que vocês não gostam que aconteça muitas vezes, também não gosto, mas esta música acalma o coração e a cabeça. É aí que vamos atrás do resultado, como hoje, em que transformámos um 0-1 em 3-1", começou por dizer em declarações ao GloboEsporte.

"Acho que o Mirassol foi a equipa que, desde que começámos o Paulistão, nos trouxe mais dificuldades. Sei que não têm responsabilidade nenhuma, mas parecem que todos são leões contra o Palmeiras. Não vamos contratar mais ninguém, fiquem calmos [risos]. Eles vão para cima, driblam e isto tem a ver com a responsabilidade zero. Perder é normal, se ganharem é bónus", atirou de seguida.

Recorde-se que o Palmeiras leva 21 pontos no topo do Paulistão e já carimbou um lugar nos 'quartos' da prova.
 

Leia Também: Abel Ferreira sofre para vencer mas apura-se para os quartos-de-final

'Num Abril e fechar de olhos' estará em cena no Teatro-Estúdio António Assunção e visa comemorar o 50.º aniversário do 25 de Abril, disse à agência Lusa a autora do texto, Mafalda Santos, que também encena.

O cenário do musical, que tem direção musical de Artur Guimarães, onde se ouvirão canções de intervenção de José Afonso, Sérgio Godinho, José Mário Branco e Fausto Bordalo Dias, fixa-se numa casa giratória onde decorrem ações diferentes.

Há dois anos, Mafalda Santos, autora e professora de teatro na companhia Teatroesfera, foi convidada por aquela companhia de Almada para redigir um texto para uma peça comemorativa dos 50 anos da Revolução dos Cravos.

Sem pretender elaborar um texto "didático" nem "panfletário", a criadora focou-se "na luta das crianças adolescentes e do que elas fizeram para, de facto, chegar à liberdade", acrescentou.

Mesmo sem terem tido "um "papel fulcral na luta pelo 25 de Abril", "foram das maiores vítimas durante a ditadura" nalgumas localidades portuguesas "onde não lhes era permitido brincar, ter sonhos, ou imaginar".

"Os adolescentes tiveram um papel muito importante nas escolas, nas comunidades, nas associações para um acender de consciência do que era viver sem liberdade, sem igualdade, viver debaixo de um preconceito e de uma pobreza extrema em certas zonas do país", frisou.

A história da peça gira à volta de três crianças entre os 10 e os 12 anos. Rita, a líder, Zé e Clementina moram numa aldeia de pescadores no Algarve, de onde nunca saíram. Alguém que terá ido a Lisboa fez chegar aos jovens a informação de que na capital portuguesa "existiam umas coisas extraordinárias", designadas "parques de engenhocas para brincar".

Os três decidem, então, encetar uma luta na aldeia pelo "direito a terem uma coisa daquelas ali".

Para concretizarem o objetivo, os jovens bateram à porta dos moradores da aldeia, andaram de escola em escola, falaram com familiares e com os donos da mercearia e da única fábrica existente na localidade.

Na caminhada depararam-se com adultos "fechados nas suas próprias realidades", "manchados por aquilo que a ditadura fazia às pessoas". Rostos onde se estampavam "o medo, a angústia e a pobreza" ou a "vaidade do explorador", no caso do dono da fábrica, observou Mafalda Santos.

Apesar da resistência dos adultos, incluindo dos familiares próximos, os três jovens conseguem cumprir o sonho, conquistando um parque para a aldeia.

Uma conquista que, na peça, é apresentada como se fosse um "puzzle", como se o 25 de Abril fosse "puzzle de muitos milhares de peças" e em que "cada peça é uma história de cada português que contribuiu com aquele pedacinho para o caminho para a liberdade".

"Num Abril e fechar de olhos" conta ainda com um jardineiro, o narrador da peça, "uma figura que tudo vê sem interferir". De uma sabedoria "enorme, como se fosse uma figura onírica ou quase divindade", o jardineiro vai "regando os sonhos de todos" e é "o guardião de milhões de histórias sobre o 25 de Abril", concluiu a autora.

Em cena até 14 de abril, com récitas à sexta-feira, às 21:30, ao sábado, às 16:00, e ao domingo, às 11:00, a peça é interpretada por Ana Freitas, Ana Lúcia Palminha, Bibi Gomes, Fernando Jorge Lopes e Pedro Luzindro.

A cenografia é de Marta Fernandes da Silva, a construção cénica de Ricardo Trindade e os figurinos de Alex de Brito.

"Num Abril e fechar de olhos" partirá depois para digressão, com representações já agendadas no Cineteatro Curvo Semedo, em Montemor-o-Novo (18 e 19 de abril), no Auditório Municipal Ruy de Carvalho, em Oeiras (10 de maio), e no Centro Dramático de Évora (24 e 25 de novembro).

Leia Também: Maria da Fé é homenageada em Lisboa aos 60 anos de carreira

As declarações do ministro foram feitas depois de os relatores e peritos da ONU terem pedido um embargo de armas a Israel devido ao elevado número de vítimas civis na guerra na Faixa de Gaza.

"Desde o massacre de 7 de outubro, a ONU tem cooperado com os terroristas do Hamas e está a tentar minar o direito de Israel a defender-se a si próprio e aos seus cidadãos de uma organização terrorista assassina que exige a destruição de Israel", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros israelita, Israel Katz, na sua conta na rede social X.

Trinta e sete membros de grupos de peritos e relatores da ONU afirmaram na sexta-feira que a exportação de armas para Israel por parte de outros países deve ser "interrompida imediatamente", uma vez que qualquer transferência de armas pode violar o direito internacional humanitário na atual ofensiva em Gaza.

"É uma mancha que não pode ser apagada da ONU enquanto organização e da vida pessoal do secretário-geral António Guterres", acrescentou Katz.

O ministério afirmou que os pedidos de embargo de armas são "apelos ao apoio" ao Hamas e que o pedido de cessação da partilha de informações com Israel "impedirá o regresso dos reféns a casa", enquanto os pedidos dos relatores e peritos da ONU foram descritos como "obsessão anti-israelita" e "posições tendenciosas".

Os signatários incluem a relatora da ONU para os Territórios Palestinianos, Francesca Albanese, que foi recentemente proibida de entrar em Israel, e os seus homólogos para a proteção dos direitos humanos na luta contra o terrorismo (Ben Saul) e contra o racismo e a xenofobia (Ashwini K.P.).

Os signatários elogiaram países como a Espanha, a Bélgica, os Países Baixos, a Itália e empresas como a japonesa Itochu, que suspenderam as suas transferências de armas para Israel, bem como a UE, que recomendou a não exportação de armas para o país.

Por outro lado, os signatários referem que os EUA e a Alemanha são, de longe, os principais exportadores de armas para Israel, com um aumento de vendas desde o início da guerra, e citam outros importantes fornecedores do exército israelita, como a França, o Reino Unido, o Canadá e a Austrália.

"A decisão do Tribunal Internacional de Justiça de 26 de janeiro, que apontou para um risco plausível de genocídio em Gaza, aumenta a necessidade de um embargo de armas contra Israel", afirmaram.

Leia Também: Trégua em Gaza? Gabinete de guerra de Israel envia delegação ao Qatar

O anúncio, feito por comunicado, surgiu depois de os EUA, juntamente com o Reino Unido, terem confirmado uma quarta onda de bombardeios contra o grupo pró-iraniano.

No documento, o porta-voz militar Huthi, Yahya Sarea, disse que "as forças navais do Iémen (como os Hutis se definem) realizaram uma operação militar qualitativa com uma série de mísseis navais adequados contra o petroleiro americano 'Torm Thor' no Golfo de Aden".

O porta-voz não deu mais detalhes sobre o ataque, que ainda não foi confirmado por outras fontes, e que ocorre depois de os EUA e o governo iemenita, internacionalmente reconhecido, terem alertado, no sábado, para as consequências ambientais de um derrame de milhares de toneladas de fertilizante, procedente de um navio cargueiro que os insurgentes iemenitas atacaram dias antes no mar Vermelho.

Yahya Sarea afirmou também que o seu grupo "atacou com drones vários navios de guerra americanos no mar Vermelho".

A nova comunicação Huthi foi divulgada depois da meia-noite, hora local, no Iémen, pouco depois de os EUA e o Reino Unido anunciarem que tinham bombardeado 18 "alvos" Hutis, na quarta operação conjunta desde que as duas potências iniciaram ataques contra as posições Hutis, em meados de janeiro.

Esta quarta operação, segundo o comunicado conjunto dos EUA e Reino Unido, contou com o apoio da Austrália, Barém, Canadá, Dinamarca, Países Baixos e Nova Zelândia, e teve como alvo armazéns de mísseis subterrâneos, sistemas de defesa aérea, radares e um helicóptero.

Embora não tenha referido diretamente os últimos atentados, o porta-voz Huthi advertiu que o grupo "enfrentará a escalada EUA-Reino Unido com operações militares de maior qualidade".

Também reiterou que continuarão os ataques contra os navios israelitas ou ligados a Israel "até que termine a agressão ao povo palestino de Gaza e se levante o cerco (imposto por Israel) sobre a Faixa".

Os Hutis, apoiados pelo Irão, iniciaram os ataques no mar Vermelho em novembro passado, após o início da guerra de Israel em Gaza, e as suas ameaças tiveram um grande impacto na navegação dessa rota marítima, por onde circula quase 15% do comércio marítimo global.

Leia Também: Novos ataques dos EUA e Reino Unido visam 8 instalações Hutis no Iémen

O Benfica publicou um vídeo, este domingo, a assinalar os dez anos de saudade após a morte de Mário Coluna, referência histórica das águias, recorrendo a breves testemunhos de lendas como António Simões e Toni.

Desde termos como "líder" e "autêntico" a "único" e "carismático", não faltaram bons adjetivos para descrever o antigo internacional português, que morreu no passado dia 25 de fevereiro de 2014, já depois de se ter destacado nas águias entre 1954 e 1970.

O "Monstro sagrado", como era apelidado, abrilhantou o seu percurso pelo Benfica com um vasto palmarés, desde as duas Taças de Campeões Europeus aos dez campeonatos e às seis Taças de Portugal, como enaltece o clube da Luz no referido vídeo.

Veja o vídeo.

Leia Também: Há 'alerta amarelo' no Benfica. António Silva em risco de falhar Clássico

É pelo Instagram que Diogo Amaral e Jessica Athayde têm continuado a mostrar imagens das férias paradisíacas e este domingo surpreenderam tudo e todos. 

Isto porque a atriz posou com um fato de banho onde se podia ler: "Vais lavar o meu cabelo? Mudas as minhas fraldas? Amas-me? E vamos envelhecer juntos?". Na legenda da partilha, escreveu: "Ele disse sim". 

Por sua vez, Diogo Amaral mostrou a mesma fotografia aos seguidores e disse: "Sim". 

A caixa de comentários rapidamente recebeu várias reações com muitos seguidores a acreditarem que os atores ficaram noivos. 

Leia Também: Diogo Amaral mostra fotografia de Jessica Athayde em topless

O Al Hilal divulgou imagens, este sábado, a dar conta dos últimos preparativos da equipa de Jorge Jesus para o duelo frente ao Al-Ettifaq, esta segunda-feira, no regresso ao campeonato da Arábia Saudita, sendo que Neymar esteve em foco.

O internacional brasileiro continua a recuperar de lesão para poder integrar, definitivamente, as escolhas do treinador português, tendo surgido no ginásio com foco no tratamento.

Percorra a galeria e espreite as melhores imagens.

Leia Também: Jesus e o apuramento na Champions asiática: "Não é só bater recordes..."

Leia Também: Al Hilal segue imparável e Jorge Jesus fica a uma mão cheia do Guinness

Leia Também: Vítor Pereira prepara estreia em casa do Al-Shabab frente a... CR7

Leia Também: Otávio rende-se a Cristiano Ronaldo: "Se tirar 10% dele, a vida muda"

Uma mulher, de 40 anos, foi violada dentro de uma esquadra da polícia, em Guarujá, no litoral de São Paulo, Brasil. A vítima é uma funcionária do local.

O homem, de 52 anos, abordou a vítima dentro da própria sala de trabalho, agrediu-a e abusou-a sexualmente. 

O suspeito foi detido em flagrante delito no local por agentes que ouviram os gritos de socorro da mulher.

O crime ocorreu na semana passada. O agressor dirigiu-se três vezes à esquadra para se encontrar com a mulher. À terceira, esperou-a com cartas de amor nas mãos, disse coisas sem sentido e abandonou o local.

No dia seguinte, voltou à esquadra, entrou na sua sala, fechou a porta e perpetrou o crime.

A vítima revelou, em depoimento prestado às autoridades, que chegou a entrar em luta corporal com o agressor.

O suspeito foi detido em flagrante delito e o procurador determinou a medida de coação de prisão preventiva, tendo sido encaminhado à cadeia pública de Guarujá.

Leia Também: Passou 37 anos detido erroneamente. Agora, será indemnizado em 12 milhões

Pelo menos 10 pessoas morreram, no sábado, devido a um acidente entre um trator-reboque e uma carrinha que transportava passageiros no estado de San Luis Potosí, no México.

Segundo a Secretaria de Segurança e Proteção ao Cidadão, entre as vítimas mortais estão cinco mulheres, um homem e quatro menores de idade, reportou a Associated Press (AP).

Há ainda a registar vários feridos, em número que não foi possível determinar, de acordo com a secretaria AP.

Foram todos encaminhados para unidades hospitalares para receber tratamento.

As causas do acidente estão agora sob investigação para apurar os factos.

Leia Também: Violência contra migrantes causa alarme na fronteira norte do México

O Benfica somou mais um triunfo no campeonato nacional de voleibol, este sábado, ao derrotar a Académica de Espinho (3-0), mantendo-se com um registo 100% vitorioso na liderança da prova.

As águias venceram o primeiro set por 25-21 e viria a repetir o 25-16 nos segundo e terceiro sets, não dando hipótese ao emblema de Espinho.

Com este resultado, o Benfica ocupa o trono com 36 pontos, mais quatro do que o Sporting, que ainda vai a jogo esta jornada. Já o Académico de Viseu segue na quarta posição, com 17 pontos.

Leia Também: Sporting segue imparável na liderança e Benfica 'cola-se' ao FC Porto

Leia Também: Ex-Benfica e ex-Sporting salvam Pepa e 'tramam' Pedro Martins

Leia Também: Após goleada ao Benfica, Sporting 'espeta' meia dúzia e persegue trono

"Primeiro passaram e mataram duas pessoas, passaram em redor da aldeia, passou um dia, no dia seguinte passaram de novo e mataram seis pessoas e queimaram um cubículo do hospital e da escolinha", descreve à Lusa Lourenço Ancuara, o chefe da aldeia.

Face a isto, a solução tem sido fugir à pressa, nomeadamente para a vila de Chiùre, hoje o último reduto de alguma segurança nas proximidades. Ainda assim, uma viagem de três dias a pé, por campos agrícolas e estradas, num movimento de milhares de pessoas em simultâneo.

Mmala situa-se no posto administrativo de Chiùre-Velho, o mais afetado pelos ataques terroristas na província de Cabo Delgado nos últimos dias, e dista 50 quilómetros de Pemba, capital provincial, percurso que leva mais de três horas a percorrer de carro, numa estrada em permanente ameaça de novos ataques.

Lourenço Ancuara, acabado de chegar à vila de Chiùre, conta que a aldeia ficou deserta: "Ninguém, todos nós abandonámos lá (...) Tenho lá 11.014 habitantes. E não está ninguém lá, abandonaram. Ninguém trouxe nada, saímos só assim mesmo".

Chegam a pé, de bicicleta, algumas crianças de poucos anos ainda a dormir, depois de noites de medo.

Os ataques ao longo da última semana deixaram a aldeia, onde todos, nas várias comunidades, se dedicam às machambas da agricultura, vazia.

Por agora, ainda não há esperança de regresso e o chefe da aldeia só pede ajuda para os milhares que fugiram de Mmala para outras povoações: "Ainda não temos apoio, não sei se vão nos dar".

Em Mujipala, comunidade da aldeia de Mmala, vivia Sousa Américo, um camponês de 40 anos. Ao fim de três dias de caminhada com os cinco filhos e centenas de outras pessoas, chegou a Chiùre.

"Lá não mataram ninguém, só que queimaram as 47 casas. Está tudo vazio (...) Chegámos aqui sem nada, estamos a sofrer de fome e a pedir apoio", desabafa, ainda à entrada de Chiùre, antes de partir para um dos três campos de reassentamento provisórios em escolas que, segundo dados da autarquia, já recebem atualmente 13.000 deslocados na vila, além dos que procuram abrigo em casas de amigos e familiares.

"Lá ninguém está mais. Está tudo vazio", descreve, receoso com o futuro, enquanto pede apoio.

"A população de lá está aqui sem nada. Estamos quase no alto mar", lamenta ainda Sousa Américo.

Mustafa Emílio, de 45 anos, também acaba de chegar a Chiùre, que antes desta onda de deslocados contava com 75 mil habitantes. Chegou à espera de refúgio numa casa de familiares.

"Não conseguimos trazer nada. Saímos sem nada", desabafa.

Pelo menos, diz-se tranquilo por ter conseguido trazer, numa caminhada de mais de três dias de muitos medos, a mulher, os filhos e as irmãs.

Só não percebe porquê: "Eu não sei o que esses malfeitores precisam. Só nos fazem sofrer".

Após vários meses de relativo regresso à normalidade nos distritos afetados pela violência armada, a província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, tem registado há algumas semanas novas movimentações e ataques de grupos rebeldes, provocando novas vagas de deslocados.

Na quinta-feira, o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, disse, numa visita a Cabo Delgado, que as novas incursões rebeldes resultam de tentativas de grupos armados de recrutar novos membros, considerando que no mês passado a província registou "muita movimentação de terroristas".

"Eles não conseguem mais fazer recrutamentos nesta província por muitas razões, a consciência [das populações] e então eles querem ver se furam para trazer outros membros para aqui (...) Eles queriam levar crianças e jovens e não foram felizes", declarou Filipe Nyusi, momentos após orientar uma reunião do Governo em Pemba, capital provincial.

O primeiro-ministro de Moçambique, Adriano Maleiane, admitiu, entretanto, a necessidade de apoio adicional a Cabo Delgado face à fuga de dezenas de pessoas devido aos novos ataques registados naquela província, situação que está a criar "problemas de alimentação".

A nova vaga de violência armada na província de Cabo Delgado dominou hoje os discursos de reinício das sessões plenárias do parlamento, com a oposição exigindo que o executivo encontre mecanismos de diálogo com os insurgentes.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou nas últimas semanas vários ataques e vítimas mortais, sobretudo no sul da província de Cabo Delgado.

A província enfrenta há seis anos alguns ataques reivindicados pelo EI, o que levou a uma resposta militar desde julho de 2021, com apoio do Ruanda e da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), libertando distritos junto aos projetos do gás.

Leia Também: Economia de Moçambique vai abrandar para 4,5% este ano

De acordo com uma declaração da Guarda Costeira das Filipinas citada pelos meios de comunicação filipinos, na quinta-feira o navio governamental Datu Sanday estava a levar combustível a pescadores perto do atol Baixo Masinloc (também chamado Scarborough ou, na China, Huangyan Dao) quando quatro navios chineses tentaram bloquear a sua passagem.

O porta-voz da Guarda Costeira das Filipinas, Jay Tarriela, explicou que apesar de três dos navios terem efetuado "manobras perigosas" e se terem aproximado a menos de 100 metros do Datu Sanday o navio filipino evitou as tentativas de bloqueio e conseguiu abastecer os pescadores.

A Guarda Costeira das Filipinas acompanhou a sua acusação com vídeos divulgados nos meios de comunicação social e nas redes sociais que mostram uma embarcação da Guarda Costeira chinesa a entrar no caminho do navio filipino para o bloquear.

O incidente ocorreu duas semanas depois de as autoridades filipinas terem alegado que outra embarcação da Guarda Costeira das Filipinas foi assediada mais de 40 vezes por navios chineses.

Pequim e Manila disputam a soberania do atol de Scarborough e das águas circundantes.

As autoridades filipinas alegam que o atol está dentro da sua zona económica exclusiva e que o Tribunal de Arbitragem de Haia rejeitou as aspirações de soberania de Pequim em 2016, uma decisão que o governo chinês se recusa a cumprir.

A China e as Filipinas estão em conflito sobre a soberania de várias ilhas e atóis no Mar do Sul da China, que Pequim reivindica quase na totalidade por "razões históricas", disputando também territórios com a Malásia, Vietname, Taiwan e Brunei.

Estas águas são uma zona estratégica através da qual circula um terço do comércio mundial e onde se encontram importantes recursos pesqueiros e energéticos.

Leia Também: Camião cai em ravina nas Filipinas e faz pelo menos 14 mortos

Jerusalém, 25 fev 2024 (Lusa) - O gabinete de guerra de Israel decidiu no sábado à noite enviar uma delegação ao Qatar nos próximos dias para negociar indiretamente com o grupo islamita Hamas uma trégua na Faixa de Gaza e uma nova troca de reféns por prisioneiros palestinianos.

Os responsáveis israelitas estão "cautelosamente otimistas" quanto à possibilidade de um novo acordo sobre os reféns, segundo a imprensa hebraica, depois de os chefes dos serviços secretos israelitas, norte-americanos e egípcios, bem como os responsáveis do Qatar, se terem reunido no sábado em Paris, onde definiram os termos de um novo acordo.

O documento deve agora ser submetido à apreciação do Hamas, que até sábado à noite afirmou desconhecer os novos termos.

De acordo com a imprensa de Israel, o novo projeto prevê uma trégua de seis semanas e a libertação de cerca de 40 reféns em troca da libertação de entre 200 e 300 prisioneiros palestinianos, o que foi aprovado pelo Governo israelita.

Depois de o Hamas ter recusado um outro projeto de acordo alcançado em Paris no início de fevereiro, fontes israelitas afirmam que o diálogo foi retomado porque o grupo islamita renunciou a algumas das suas exigências "inaceitáveis" para Israel, como a cessação total das hostilidades e a retirada das suas tropas da Faixa de Gaza.

No entanto, a direção do Hamas afirma que não cedeu nestas exigências "fundamentais".

Entretanto, Israel continua determinado a lançar uma ofensiva terrestre em Rafah, no extremo sul da Faixa de Gaza, onde vivem cerca de 1,5 milhões de pessoas, a maioria dos quais deslocadas, embora tal possa ser adiado se as negociações de tréguas, mediadas pelo Qatar, se concretizarem desta vez.

"Estamos a trabalhar para obter outro plano para a libertação dos nossos reféns, bem como para completar a eliminação dos batalhões do Hamas em Rafah. Foi por isso que enviei uma delegação a Paris e esta noite vamos discutir os próximos passos nas negociações", disse o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu na sua conta na rede social X, no sábado à noite.

Netanyahu disse que iria reunir novamente o governo esta semana para "aprovar os planos operacionais de ação em Rafah, incluindo a retirada da população civil".

"Só uma combinação de pressão militar e de negociações firmes conduzirá à libertação dos nossos reféns, à eliminação do Hamas e à realização de todos os objetivos da guerra", afirmou.

O gabinete de guerra já votou na quinta-feira à noite um documento com o plano israelita para o dia seguinte à guerra na Faixa de Gaza, que prevê o controlo de segurança israelita, uma espécie de ocupação militar semelhante à da Cisjordânia e a eliminação total da UNRWA.

Desde o início da guerra, Israel e o Hamas só chegaram a um acordo de tréguas de uma semana, no final de novembro, que permitiu a libertação de 105 reféns em troca de 240 prisioneiros palestinianos.

Quatro reféns foram libertados pelo Hamas em outubro; três foram resgatados pelo Exército - dois deles há algumas semanas, numa operação bem sucedida em Rafah; enquanto os corpos de onze reféns foram recuperados, três dos quais foram mortos por engano pelas tropas israelitas.

Restam no enclave 130 reféns capturados em 7 de outubro, cerca de 30 dos quais se creem mortos, enquanto outros quatro estão cativos há anos, incluindo dois mortos.

Mais de 29.600 habitantes de Gaza foram mortos e mais de 69.700 ficaram feridos em mais de quatro meses de guerra na Faixa de Gaza, que começou em 7 de outubro depois de um ataque do Hamas em solo israelita que deixou cerca de 1.200 mortos e 250 raptados.

MC // JMR

Lusa/Fim

O projeto 'Proud to Be Portuguese Canadian' (Orgulho em ser luso-canadiano) vai regressar em 2025 com o objetivo de incentivar os jovens lusodescendentes a "não terem receio das suas origens", disse à agência Lusa o promotor.

"Queremos incentivar os mais novos para não terem receio da sua origem, de onde são oriundos", afirmou Terry Costa.

Entre 2006 a 2016 o "Proud to Be Portuguese Canadian" apresentou anualmente, pelo menos, um programa numa cidade canadiana, com início na costa oeste do país, em Vancouver.

O luso-canadiano, a residir na ilha do Pico, nos Açores, não tem dúvidas que o projeto teve um "impacto direto nos jovens lusodescendentes".

"Em 2012, numa conferência com mais 300 participantes de jovens de universidades canadianas, fizemos um inquérito, onde apenas 20 por cento tinha visitado Portugal. Mas neste momento muito já mudou. Porque incentivámo-los", realçou.

O projeto pretende educar uma "comunidade portuguesa que cative os mais novos", para abrir portas aos jovens para que possam "ter um futuro".

"É importante dar visibilidade na sociedade canadiana que há uma comunidade luso-canadiana presente e ativa", sublinhou.

Terry Costa confirmou que já está a preparar a "nova temporada do evento" passada uma década após a última edição, na cidade de Toronto.

"Queremos destacar as novas gerações, novas ideias, artistas e criativos. Sendo o objetivo principal de continuar a incentivar a malta mais jovem, especialmente os estudantes nas universidades, pelo país fora. Para participarem de uma forma ou outra, desde conferências, apresentações de livros, música, dança, teatro, e na arte contemporânea", acrescentou.

Para 2025 está a ser preparada uma "grande exposição" relacionada com a arte contemporânea, convidando desta forma artistas lusodescendentes para se "juntarem ao projeto".

Apesar de ainda existir alguma incerteza política no Canadá e em Portugal num futuro a curto e a médio prazo, Terry Costa salienta a importância de um trabalho conjunto pois "só assim se pode avançar na sociedade".

O evento de "Proud to be Portuguese Canadian" em Toronto, em 2012, foi o que mais sucesso teve, contando com o apoio de vários governos, incluindo de Portugal, dos Açores e da Madeira. 

Em 2002, Terry Costa fundou a Associação MiratecArts em Vancouver, no Canadá, mudando a sede da organização para a ilha do Pico em 2012, onde organiza eventos culturais, entre os quais os festivais Fringe e Cordas. 

Leia Também: 25 de Abril. Luso-venezuelanos têm "necessidade de saber o que aconteceu"

Mauricio Pochettino decidiu escrever uma carta aberta dirigida aos adeptos do Chelsea, divulgada este domingo, num dia em que disputará a final da Taça da Liga inglesa, frente ao Liverpool, em Wembley.

O treinador argentino não escondeu que os blues já passaram por momentos difíceis, mas não hesitou em 'convocar' os adeptos para a grande final deste domingo.

"Adeptos do Chelsea, hoje em Wembley podemos criar algo especial. Uma memória que vive com todos nós. Um momento que dura. As finais têm esse poder. Eles unem-nos. As famílias estarão unidas e conectadas pelas suas emoções. Os amigos vão partilhar essa experiência e ficarão unidos", começou por escrever.

"Depois, há as crianças que viverão uma final pela primeira vez. É algo que sempre fica na memória. Para mim, foi a final da Campeonato do Mundo de 1978, na Argentina. Assisti com meu pai. Eu tinha apenas seis anos, mas lembro-me muito bem. Claro que os sentimentos são diferentes agora. Como treinador, deves estar relaxado antes da final para ter clareza no teu pensamento. É o mesmo para minha equipa", vincou de seguida.

"Todos acreditamos nos nossos jogadores e na forma como trabalhamos. Esta temporada nem sempre foi fácil, essa é a realidade, mas a confiança entre nós como equipa permaneceu muito forte. Isso ajudou-nos a chegar a Wembley e irá ajudar-nos nesta final. Agora devemos fazer o que o Chelsea faz. Ganhar. Vocês vão ajudar. Nós sabemos disso. Foram pacientes e defenderam-nos em momentos difíceis", atirou ainda.

Já na reta final da nota informativa publicada no site oficial do emblema de Stamford Bridge, Mauricio Pochettino olhou ainda para o adversário, vincando, uma vez mais, a confiança na sua equipa e nos seus adeptos.

"O Liverpool não facilitará as coisas. Eles são capazes de trazer uma tempestade em campo e quando ela chegar devemos estar prontos para dar o nosso melhor para alcançar o que todos desejamos. Lembraremos aos jogadores que quando o coração bate um pouco mais rápido é aí que você deve estar pronto para lutar. Todos conhecemos a história do Chelsea. É enorme e todos entendem as expectativas deste clube. São os proprietários, os jogadores, a equipa de Cobham, a equipa de Stamford Bridge, a Academia e a seleção feminina", escreveu.

"Muitas pessoas do clube estarão hoje em Wembley para nos ajudar como equipa, mas também para ajudar a transmitir o ambiente da final aos adeptos que não podem estar no estádio. Só se estivermos juntos poderemos viver estes momentos especiais e criar estas memórias. Queremos continuar as tradições do Chelsea. Queremos esse troféu. Vemo-nos em Wembley", completou.

Leia Também: Chelsea está a um jogo do regresso às provas europeias. UEFA pode impedir

Decorreu nesta madrugada, em Los Angeles, a 30.ª edição dos Prémios do Sindicato dos Atores (SAG Awards) e, como é habitual, reuniu várias estrelas. 

A entrega de prémios - que este ano distinguiu (em grande) as séries 'Succession' e 'The Bear' e o filme 'Oppenheimer' - não foram o único destaque da noite de gala. 

Sendo uma ocasião especial, os looks também são escolhidos a pensar na cerimónia de entrega de prémios e as opções foram para todos os gostos. Veja as fotografias da galeria. 

Leia Também: 'Oppenheimer' cimenta favoritismo ao vencer Prémios do SAG Awards

Leia Também: 'Succession' e 'The Bear' conquistam (quase) tudo em TV nos SAG Awards

"Ninguém vai comunicar às famílias o desaparecimento de um familiar, terão de ser as famílias a requer às autoridades que investiguem o desaparecimento", disse em entrevista à agência Lusa a ativista Valentina Melnikova, da União dos Comités das Mães dos Soldados.

"Encontrámos, por fim, pontos de comunicação com as autoridades. Em 2022, quando o conflito deflagrou, não possuíamos um claro campo de trabalho", contou no segundo aniversário da invasão russa da Ucrânia.

Às famílias que não sabem de familiares que foram chamados para combater na Ucrânia, os ativistas aconselham a que façam um pedido de busca à Polícia Militar, que "tem uma base de dados com os nomes dos mortos e desaparecidos" e costuma responder depressa.

Outra via que se mostrou prestável foi a representante dos Direitos Humanos, Tatiana Moskalkova, que tem acesso aos nomes dos soldados que constam das listas de troca de prisioneiros e à base de dados do Ministério da Defesa.

A experiência, que vem já da guerra da Tchetchénia, é que "se as famílias não se empenham na busca dos soldados desaparecidos, estes podem realmente desaparecer para sempre", afiançou a ativista.

Essa busca inclui fornecer amostras de ADN e confirmar identidades através das placas de identificação de soldados mortos em combate.

Por princípio, devem ser as famílias a "mexerem-se", já que, por lei, não se pode usar dados pessoais de que cumpre serviço militar, nem das respetivas famílias.

"Orientamos as famílias, damos-lhe os 'sites' e os nomes dos responsáveis dos vários serviços: Procuradoria Militar, Ministério da Defesa. Entretanto, se as respostas não forem claras ou satisfatórias, entramos nós em ação", afirmou.

Valentina Dmitrievna Melnikova exibe 78 anos de energia e otimismo e é considerada uma das 100 mulheres mais influentes da Rússia. Engenheira de formação, trabalhou em vários estabelecimentos de ensino superior.

Mas reconhece que o objetivo mais urgente é acabar com a guerra, embora garanta que nada "pode compensar as perdas russas.

Do Governo russo, todos os pedidos de ajuda financeira aos comités foram negados, embora atendam o telefone nas situações mais desesperadas, que nem sempre têm a ver com desaparecidos em combate.

"Há pessoas que nos conhecem desde há muito, incluindo o vice-ministro da Defesa, que nos estendem sempre a mão numa qualquer situação mais dificultosa. Portanto, quando somos surpreendidos por casos muito urgentes ou de particular complexidade, recorremos a esses conhecimentos por via telefónica", revelou.

"Uma mãe morreu, deixando uma filha de dez anos. Pedimos que o pai, a cumprir serviço militar, voltasse para casa antes de ser enviado para a frente, de modo a que a filha não fosse metida num orfanato. Foi uma mulher coronel que resolveu o problema, e no quadro da lei. Este relacionamento pessoal é resultado do trabalho de muitos anos e do respeito e confiança que depositam em nós e na nossa causa", salientou.

A causa das mães dos desaparecidos também conta com a imprensa, embora muitos órgãos de informação tenham saído da Rússia.

"Toda a comunicação social que discordava, de uma forma ou outra, da 'operação militar especial' mudou-se para o estrangeiro. Como são considerados pelas autoridades russas 'agentes estrangeiros', não nos podem ajudar seja no que for", lamentou.

Valentina apelou aos "governos ocidentais" que estão contra a guerra movida pelo regime do Presidente Vladimir Putin para não castigarem o povo russo.

"Peço-lhes que não expulsem os cidadãos russos que optaram por procurar melhores condições de vida longe dos seus lares e que concedam asilo político aos cidadãos que realmente precisarem desse estatuto", concluiu.

Leia Também: Bielorrússia vota no domingo em eleições sob forte controlo

Numa nota publicada na página oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa enaltece o trabalho e dedicação de todos os atletas e equipas técnicas que estão a participar na competição que decorre em Reims, França.

"Nestes três dias de competição, os atletas nacionais conquistaram nove medalhas de ouro e sete de prata, permitindo à comitiva nacional subir ao lugar mais alto do podium", escreveu o Chefe de Estado português.

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que "estes resultados muito orgulham todos os portugueses".

Portugal sagrou-se campeão do mundo de atletismo pista coberta da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (VIRTUS), depois de ter conquistado nove medalhas de ouro e sete de prata, e um total de 66 pontos.

A equipa portuguesa terminou a competição imediatamente à frente das seleções da Ucrânia, que teve 48 pontos, e da Turquia, que somou 41.

Na jornada de sábado, Portugal conseguiu mais seis medalhas -- três de ouro e três de prata --, que se juntaram às 10 conseguidas desde o início da competição, na quinta-feira.

Leia Também: João Félix destaca festejo no regresso aos golos pelo Barça: "Seguimos"

O Manchester City conquistou mais três pontos na Premier League, este sábado, ao vencer no terreno do Bournemouth (0-1), com um golo de Phil Foden, mas a verdade é que Pep Guardiola também pode agradecer a... Ederson.

Aos 67 minutos, o guarda-redes ex-Benfica protagonizou uma das melhores defesas da noite, estando totalmente dentro da baliza, mas impedido o golo em cima da linha, numa altura em que o Bournemouth encontrava-se em busca do empate.

Veja o lance.

Leia Também: 'Cereja' de Phil Foden deixa Manchester City perto do topo do 'bolo'

Instantes após a goleada do Barcelona frente ao Getafe (4-0), este sábado, João Félix decidiu recorrer às redes sociais para assinalar o triunfo da sua equipa, acabando ainda por destacar o seu festejo, como uma espécie de... vénia.

"Grande trabalho de toda a equipa. Seguimos", escreveu o ex-Benfica, que regressou aos golos pelo Barça um mês depois.

Recorde-se que o avançado português chegou a desfalcar as opções de Xavi durante sensivelmente três semanas e, na condição de titular, acabou por apontar o 2-0 aos 53 minutos, acabando por sair dez minutos depois.

Leia Também: O golo de João Félix que acabou com um 'jejum' de mais de um mês

Leia Também: João Félix marca e deixa garantia: "Vamos lutar até ao fim"

O Pevidém recorreu às redes sociais, este sábado, para divulgar um vídeo a dar conta da forma original dos adeptos do clube do Campeonato de Portugal na hora de apoiar a sua equipa.

Com recurso a vários instrumentos, alguns de peso, com o tambor à mistura, meia dúzia de indivíduos criaram uma sinfonia algo... contagiante.

"Quando nos perguntam porque somos um clube tão especial, respondemos com momentos como estes", escreveu o emblema de Guimarães.

Espreite o vídeo.

Leia Também: Vítor Pereira prepara estreia em casa do Al-Shabab frente a... CR7

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, os sete distritos do norte de Portugal Continental vão estar sob aviso amarelo entre as 09h00 e as 21h00 de hoje, prevendo-se que durante o dia de segunda-feira o aviso possa ser alargado a mais distritos, igualmente devido ao vento que pode chegar aos 95 quilómetros hora nas terras altas.

Os dez distritos da costa norte de Portugal que estiveram até às 06h00 de hoje sob aviso laranja devido à agitação marítima, estão agora sob aviso amarelo, tendo em conta a previsão de melhoria do estado do mar, com ondas com quatro a cinco metros de altura.

O aviso amarelo no Porto, Faro, Setúbal, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Beja, Aveiro, Braga e Coimbra irá vigorar até às 21h00 na maioria dos distritos.

Os distritos de Viana do Castelo, Leiria, Aveiro, Coimbra, Braga e Lisboa voltam a aviso laranja devido à agitação marítima na madrugada de segunda-feira tendo em conta a previsão de ondas com 5 a 6 metros, podendo chegar aos 11 metros.

O aviso laranja, o segundo mais grave de uma escala de três, irá vigorar entre as 06h00 de segunda-feira e as 03h00 de terça-feira.

O IPMA emitiu também aviso amarelo para a costa norte da Madeira e Porto Santo devido a agitação marítima até ao meio-dia de hoje, com previsão de ondas de noroeste com quatro a cinco metros de altura.

Para hoje o IPMA prevê céu muito nublado, com chuva por vezes forte no norte e centro, além de vento, por vezes forte, e com rajadas, no litoral e terras altas e agitação marítima igualmente forte.

Na região da Grande Lisboa são esperados períodos de chuva, mais frequente e intensa a partir do fim da tarde, enquanto no Grande Porto são esperados períodos de chuva, que poderá ser por vezes forte durante a tarde, passando a regime de aguaceiros a partir do final da tarde.

Está prevista uma pequena subida da temperatura.

As temperaturas rondam os cinco graus de mínima na Guarda e os 19 de máxima esperados em Santarém e Setúbal.

Leia Também: Atenção: Agitação marítima coloca 10 distritos do continente em alerta

O Al-Shabab divulgou, este sábado, várias imagens a dar conta do último treino às ordens de Vítor Pereira antes da receção ao rival Al Nassr.

Após ter somado um triunfo frente ao Damac (0-1) no jogo de estreia, aquando do regresso do campeonato da Arábia Saudita, o treinador português prepara agora a estreia a jogar em casa, precisamente frente aos portugueses Cristiano Ronaldo, Otávio e Luís Castro.

Percorra a galeria e espreite as melhores imagens.

Leia Também: Cristiano Ronaldo mostra como se faz e marca golaço no treino do Al Nassr

Leia Também: Otávio rende-se a Cristiano Ronaldo: "Se tirar 10% dele, a vida muda"

Leia Também: Otávio confessa: "Tenho vontade de voltar ao FC Porto, mas..."

"As conversações chegaram a um resultado positivo e a um ponto de encontro durante o qual será declarada uma trégua relativamente longa, de até seis semanas", disseram as fontes, que pediram para não ser identificadas.

O acordo inclui, numa primeira fase, a libertação de 30 reféns detidos pelo Hamas desde o ataque do grupo a Israel, em 7 de outubro, em troca de 300 prisioneiros palestinianos nas prisões israelitas.

"Além disso, nesta primeira fase, haverá um cessar-fogo completo e a retirada das forças israelitas de Gaza (...) depois seguir-se-ão outras fases (das negociações) até à libertação de todos os reféns detidos pelo Hamas", acrescentaram.

Sublinharam também que durante esta primeira fase da trégua "as negociações abordarão questões como o futuro de Gaza, a solução de dois Estados e o relançamento das negociações de paz israelo-palestinianas".

As fontes atribuíram o "desenvolvimento positivo" às "concessões feitas pelos representantes do Hamas relativamente a muitas das suas exigências".

Meios de comunicação israelitas revelaram na sexta-feira "progressos significativos" nas conversações de Paris que envolveram representantes de Israel, dos Estados Unidos, do Egito e do Qatar, mas avisaram que ainda há um longo caminho a percorrer.

O conselheiro de segurança nacional de Israel, Tzachi Hanegbi, confirmou à imprensa israelita no sábado que o gabinete de guerra de Israel será informado nas próximas horas sobre o que foi discutido em Paris e disse que também que "será possível fazer progressos".

Leia Também: Israel vai discutir "nos próximos dias" uma nova trégua em Gaza no Qatar

Sporting e Benfica voltaram a vencer no campeonato nacional de andebol, este sábado, frente a FC Gaia (23-36) e Águas Santas (33-26), confirmando o bom momento que atravessam, ainda que bastante distanciados no pódio da tabela classificativa.

Os leões foram para o intervalo a vencer por cinco golos de diferença (12-17), mas conseguiram aumentar a distância para 13 golos durante a segunda parte (11-19), culminando no 23-36 final.

Já as águias protagonizaram um primeiro tempo (16-15) bastante renhido no pavilhão da Luz, acabando por confirmar o triunfo de forma mais tranquila na segunda parte (17-11), conduzindo até ao 33-26 final.

Com estes resultados, o Sporting soma a 19.ª vitória à 19.ª jornada, com 57 pontos, no trono do campeonato, enquanto o Benfica cola-se ao FC Porto na segunda posição, com 49 pontos, ainda que a título provisório, dado que os dragões vão defrontar o ABC este domingo.

Leia Também: Após goleada ao Benfica, Sporting 'espeta' meia dúzia e persegue trono

Leia Também: Ex-Benfica e ex-Sporting salvam Pepa e 'tramam' Pedro Martins

Os seis primeiros finalistas do 58.º Festival da Canção já foram escolhidos na primeira de duas semifinais, no sábado, dia 24 de fevereiro.

Num total de 10 atuações, seis canções foram escolhidas para passar à próxima fase do concurso - cinco foram através do sistema de votação habitual (metade da pontuação atribuída a um júri profissional e a outra metade ao voto do público) e uma apenas pela votação do público.

Assim sendo, os seis eleitos foram para competir na final foram:

Rita Rocha, com 'Pontos finais'

Nena, com 'Teorias da conspiração'

Perpétua, com 'Bem longe daqui'

Iolanda, com 'Grito'

João Borsch, com 'Pelas costuras'

Noble, com 'Memory'

No entanto, quatro artistas ficaram pelo caminho e não foram selecionados para a próxima fase. São eles:

Bispo, com 'Casa Portuguesa'

Mila Dores, com 'Afia a língua'

MELA, com 'Água'

LEFT., com 'Volto a Ti'

(O Notícias ao Minuto esteve à conversa com os artistas. Pode seguir os links para ler as entrevistas)

No ano em que o festival celebra o 60.º aniversário, as duas semifinais e a final do concurso voltam a acontecer nos estúdios da RTP em Lisboa.

Na segunda semifinal, marcada para 2 de março, também nos estúdios da RTP em Lisboa, competem outras 10 canções. Nesse dia serão escolhidas as restantes canções que disputarão a final, em 9 de março.

Na final, as votações do júri serão feitas por representantes de sete regiões de Portugal Continental e ilhas. Em caso de empate, nas semifinais prevalece a escolha do júri e, na final, a do público.

O vencedor do Festival da Canção irá representar Portugal no 68.º Festival Eurovisão da Canção, que irá acontecer em Malmo, na Suécia, em maio, 50 anos depois da primeira vitória daquele país com o tema 'Waterloo', dos ABBA.

A Suécia venceu em maio do ano passado o 67.º Festival Eurovisão da Canção, que foi disputado em Liverpool, no Reino Unido, com o tema 'Tattoo', interpretado por Loreen, que já tinha conquistado o primeiro lugar no Festival da Eurovisão da Canção em 2012, com 'Euphoria'. Esta foi a sétima vez que a Suécia venceu o Festival Eurovisão da Canção, depois dos triunfos em 1974, 1984, 1991, 1999, 2012 e 2015.

Portugal ficou no ano passado em 23.º lugar, com Mimicat e a canção 'Ai coração'. Venceu a competição em 2017, com 'Amar pelo dois', canção escrita por Luísa Sobral e interpretada por Salvador Sobral.

Leia Também: Eis os seis primeiros finalistas do Festival da Canção

O recorde anterior era de 2019, mas os números baixaram em 2020 até 10 mil turistas devido os efeitos da pandemia da covid-19 que levaram ao fecho de fronteiras e limitações das viagens.

No entanto, desde 2021 que o país começou a dar sinais de recuperação turística, com 15 mil turistas, enquanto em 2022 se registaram 26 mil.

"Para nós o ano 2023 é o nosso topo, é o ano que nós conseguimos atingir concretamente 35.817 turistas [...] número que nós nunca atingimos na história do Turismo em São Tomé e Príncipe", disse à Lusa a diretora do Desenvolvimento Turístico de São Tomé e Príncipe.

Madga Lopes indicou dados em que Portugal se posiciona como o principal país emissor de turistas para São Tomé em 2023, com 16.469 turistas [46%), seguido de Alemanha com 2.408 (7%), Estados Unidos da América com 2.328 (7%), França com 1.896 (5%), Angola com 1.298 (4%).

A maioria dos visitantes foram ao arquipélago por motivos de serviço, férias ou turismo, sendo que 32.694 pessoas entraram pela via aérea, enquanto 2.123 pela via marítima, sobretudo em três navios de cruzeiro que passaram pelo arquipélago dos quais muitos turistas desembarcaram.

"Nós podemos notar que há um determinado momento, um dia ou dois, que há um fluxo grande de turistas circulando na nossa capital", sublinhou Madga Lopes.

Contrariamente aos anos anteriores em que o topo das visitas foi registado entre julho, agosto, setembro e dezembro, em 2024, Madga Lopes disse que o mês março foi o topo, registando 4.978, e dezembro com 3.447.

Até 2018 o turismo era responsável por 15% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, mas os dados estão a ser atualizados em parcerias com outras instituições.

Sem avançar números exatos, a porta-voz da Direção do Turismo e Hotelaria disse dispor de dados que confirmam o crescimento das receitas do turismo para os cofres do Estado, sublinhando que "um maior número de turistas no país significa inicialmente que aumenta o consumo" com compra de bilhetes nas agências de viagens, questões de vistos nos serviços migratórios, bem como os serviços hoteleiros, restaurantes, 'rent a car', guias.

"Nós sabemos que o turismo é transversal, então dada a sua transversalidade, ele é um setor que envolve todos os outros setores da economia nacional, então quando aumentamos a estadia, quando aumentamos a entrada de visitantes, nós estamos a promover automaticamente que todos os setores do país saiam a ganhar", referiu Magda Lopes.

Para o ano 2024, a Direção do Turismo pretende igualar ou ultrapassar o recorde de visitantes de 2023, apostando na melhoria dos serviços e das ofertas turísticas aos visitantes.

Leia Também: São Tomé terá central fotovoltaica para garantir estabilidade energética

"Antevemos que uma produção mais lenta de gás natural este ano, de 2,5%, vá contribuir para o abrandamento do crescimento económico para 4,5% este ano", escrevem os analistas da Oxford Economics, num comentário à expansão económica de 5% no ano passado.

"Apesar da adversidade de terem tido de enfrentar o ciclone Fredy, o mais prolongado ciclone alguma vez registado, e a violência em curso em Cabo Delgado, a economia conseguiu avançar em 2023 graças ao aumento da produção de gás natural liquefeito ao largo da costa", aponta-se no departamento africano desta consultora britânica.

Num comentário enviado aos investidores, e a que a Lusa teve acesso, a Oxford Economics considera que a petrolífera TotalEnergies vai voltar a Cabo Delgado ainda este semestre, mas alerta que a proximidade das eleições poderá fazer aumentar os ataques e "lançar uma nuvem sobre as eleições" previstas para o final do ano.

O Presidente moçambicano disse na quarta-feira que a TotalEnergies já devia ter retomado as operações em Cabo Delgado, classificando o apelo da França para que cidadãos daquele país não viagem para alguns pontos da província como "decisão diplomática".

"Para mim [a retoma do projeto] devia ter sido ontem ou no mês passado", declarou Filipe Nyusi, questionado por jornalistas sobre a situação de segurança de Cabo Delgado face a novas incursões rebeldes, momentos após orientar uma reunião do Governo em Pemba, capital provincial.

A Embaixada de França em Moçambique está a apelar aos cidadãos franceses para não viajarem para as cidades de Mocímboa da Praia, Pemba e Palma, em Cabo Delgado (norte), devido à "ameaça terrorista".

"Devido à presença de uma ameaça terrorista e de rapto nas cidades de Mocímboa da Praia, Pemba e Palma, é fortemente recomendado não viajar para estas cidades, bem como viajar nas estradas que ligam estas localidades", lê-se numa mensagem aos viajantes publicada há uma semana pela Embaixada de França em Maputo.

"Quem falou não foi o dono do projeto, foi um diplomata, pelo que ouvi", limitou-se a declarar o chefe de Estado moçambicano na quarta-feira.

De acordo com o Banco de Moçambique, o crescimento de 5,36% no último trimestre do ano passado compara com os 5,92% no trimestre anterior, que se seguiu aos aumentos de 4,67% no período de abril a junho e de 4,17% de janeiro a março, o que se traduz num crescimento económico médio em 2023 pouco acima de 5% do PIB.

A ligeira redução, de 0,56 pontos percentuais face ao trimestre anterior, resulta essencialmente do "crescimento menos acentuado da indústria extrativa" e pelo "desempenho negativo da indústria transformadora", explicou o banco central em meados de fevereiro, citando o INE.

Leia Também: Comunidades isoladas devido a chuvas temem ataques em Cabo Delgado

Enquanto as noites de sábado da TVI têm sido preenchidas pelo 'Dança com as Estrelas' com a apresentação de Cristina Ferreira, na SIC foi dia de mais uma emissão do programa 'A Máscara', apresentado por João Manzarra. 

Como é habitual, houve mais uma revelação e um novo famoso foi desmascarado. 

Desta vez foi novamente um "camaleão decapitado", com César Mourão a não ter dúvidas de que era Rui Unas. Depois também Jorge Corrula disse o nome do artista e os palpites estavam certos. 

Veja na publicação abaixo o momento em que Rui Unas despe o fato de camaleão. 

Leia Também: Saiba quem se disfarçou de Burro em 'A Máscara'. Houve palpites certos

O regresso do campeonato do Qatar, após uma pausa de sensivelmente dois meses, trouxe um jogo bem 'quentinho' até ao último segundo, com o triunfo do Al Ahli Doha (1-2), de Pepa, no reduto do Al-Gharafa, de Pedro Martins.

O jogo entre dois treinadores que, num passado recente, estiveram no Vitória SC, não chegou à meia hora com os 22 jogadores em campo, fruto da expulsão de Sano (22') a deixar a equipa de Pedro Martins reduzida a dez elementos. Ainda assim, em cima do intervalo, Alaaeldin surgiu de forma oportuna na grande área e abriu o ativo, apesar da inferioridade numérica.

O conjunto de Pepa procurou o empate durante todo o segundo tempo e, imagine-se, só o alcançou nos descontos, acabando ainda por dar a volta ao resultado. Julian Draxler, ex-Benfica, restabeleceu a igualdade aos 90+2', sendo que, Idrissa Doumbia, ex-Sporting, a passe de Draxler, assinou a 'cambalhota' no marcador, aos 90+12'.

Com este resultado, o Al-Gharafa mantém-se no terceiro lugar, com 27 pontos, a quatro do líder Al-Sadd, que ainda irá disputar a 14.ª jornada este domingo. Já o Al Ahli Doha sobe ao oitavo lugar, com 15 pontos.

Leia Também: Pode não se lembrar, mas estes craques estão a jogar no Qatar

À intervenção de Navalnya, prevista para as 11h30 locais (10h30 de Lisboa), segue-se um debate sobre a recente morte, em circunstâncias ainda não esclarecidas, do opositor político do presidente russo, Vladimir Putin, seguindo-se, na quinta-feira, a votação de uma resolução sobre a situação na Rússia.

A morte de Alexei Anatolievitch Navalny, 47 anos, - o principal opositor do regime de Putin - numa prisão no Ártico foi anunciada no dia 16 pelos serviços prisionais russos.

No âmbito do segundo aniversário da invasão da Ucrânia pela Rússia, assinalado no sábado, o PE vota, também na quinta-feira, uma resolução em que apela ao reforço do fornecimento de armas e munições a Kiev.

O tema do alargamento da UE, com a Ucrânia entre os países candidatos, será debatido na terça-feira e votado na quarta, com os eurodeputados os eurodeputados a apelarem ao fim da votação por unanimidade no Conselho em determinados domínios políticos, um texto de que o eurodeputado Pedro Silva Pereira (PS) é um dos correlatores.

Em ano de eleições europeias, que decorrem entre 06 e 09 de junho, será debatido na segunda-feira e votado no dia seguinte um texto sobre a transparência e o direcionamento da propaganda política, nomeadamente a publicidade política paga, incluindo 'online'.

A proposta prevê a proibição de anúncios de fora da UE nos três meses que antecedem eleições.

Outro assunto importante na agenda da reunião, que decorre entre segunda e quinta-feira, é a votação formal da Lei da Restauração da Natureza, que prevê medidas de recuperação para, pelo menos, 20% das zonas terrestres e marítimas da UE até 2030 e para todos os ecossistemas até 2050.

Ainda no domínio do ambiente, será votada na terça-feira as novas regras sobre a criminalidade ambiental que penalizará o comércio ilegal de madeira, o esgotamento dos recursos hídricos ou violações da legislação da UE relativas aos produtos químicos e equipara os incêndios florestais em grande escala ao ecocídio.

Leia Também: G7 pede à Rússia que esclareça completamente a morte de Navalny

Depois de vários aumentos sucessivos, a próxima semana traz melhores notícias no que ao preço dos combustíveis diz respeito. Tanto o gasóleo como a gasolina vão ficar mais baratos, por isso é melhor esperar por segunda-feira para abastecer. 

De acordo com as previsões divulgadas pela ACP - Automóvel Club de Portugal, em causa está uma descida de três cêntimos no caso do gasóleo e de 1,5 cêntimos por litro no caso da gasolina

Confirmando-se estas previsões, o preço médio do gasóleo simples deverá fixar-se nos 1,674 €/litro enquanto o da gasolina simples 95 deverá andar pelos 1,742 €/litro.

A ACP sublinha que "estas previsões são feitas com base na assunção da manutenção das medidas extraordinárias de redução fiscal aplicadas pelo governo, para mitigar o aumento dos preços".

De recordar que as "medidas em vigor incluem a redução do ISP (que equivale a uma redução do IVA de 23% e 13%), o mecanismo de compensação através do qual é reduzido do ISP em relação à receita adicional do IVA e a suspensão da atualização da taxa de carbono".

Leia Também: Após seis semanas, combustíveis vão ficar mais baratos. Eis as previsões

Jeff Dodds, CEO da Fórmula E, falou sobre a competitividade na competição que dirige e comparou-a com a Fórmula 1, numa entrevista à TNT Sports.

O homem forte da disciplina de carros elétricos foi mais longe e fez uma aposta. Dodds tem a certeza que Max Verstappen vai conquistar o título e, caso não o faça, este fará uma doação a uma instituição de caridade.

“O Max tem 99% do título no bolso. Se ele não ganhar, há outros 19 pilotos na grelha e se algum deles ganhar eu ofereço 250.000 euros para caridade à escolha do piloto que ganhar", começou por dizer.

"Para mim, como fã da Fórmula E e da Fórmula 1, sei que vou para a próxima corrida e nenhum de nós faz ideia de quem vai ganhar. Portanto, estou muito entusiasmado com isso. Como fã de Fórmula 1, sei que a temporada está prestes a começar. Vou vê-la e tudo o que a acompanha, mas já sei quem vai ganhar", completou.

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por TNT Sports (@tntsports)

Sergio Ramos recorreu às redes sociais, este sábado, para antecipar em curtas palavras o seu regresso ao Estádio Santiago Bernabéu, este domingo, onde vai defrontar o Real Madrid.

"Depois de muitos anos, a partida mais especial com o mesmo objetivo de sempre: vencer", escreveu o defesa espanhol.

Recorde-se que Sergio Ramos representou o Real Madrid entre 2005 e 2021, durante 16 temporadas ininterruptamente, saindo depois para o Paris SG por duas épocas e regressando esta temporada ao Sevilla, onde se tinha formado antes de sair para os merengues.

Para recordar o último embate frente ao Real Madrid, como rival, Sergio Ramos precisa apenas de recuar ao passado dia 21 de outubro (1-1 em Sevilha), mas para recordar um duelo no Santiago Bernabéu já é preciso recuperar as cassetes do dia 22 de dezembro de 2004 (0-1), há praticamente 20 anos.

Leia Também: "O Santiago Bernabéu vai receber Sergio Ramos com muito carinho"

Leia Também: "Se marcar, não vou festejar no Bernabéu"

O Sporting voltou a golear no campeonato nacional de futsal, este sábado, na receção ao Quinta dos Lombos (6-0), sensivelmente uma semana após ter derrotado o Benfica por 7-3, no Pavilhão João Rocha.

Decorridos 15 minutos de jogo, Zicky Té abriu o ativo e deixou os leões a vencer pela margem mínima, mas as dificuldades desapareceriam no segundo tempo, com uma mão cheia de golos. Pany Varela ampliou (23'), Taynan bisou (27' e 28'), Wesley Reinaldo fez o quinto (29') logo a seguir e Diogo Santos selou o 6-0 final, nos últimos segundos.

Com este resultado, o Sporting mantém-se na segunda posição, agora com 41 pontos, a dois do líder Sporting de Braga, levando mais 11 por comparação ao rival Benfica, que ainda irá jogar este domingo diante do Candoso. Já o Quinta dos Lombos ocupa a décima posição, com 14 pontos.

Leia Também: Há 'alerta amarelo' no Benfica. António Silva em risco de falhar Clássico

Leia Também: FC Porto anuncia lotação esgotada para Clássico frente ao Benfica

"O salário não é muito atraente e, por isso, não vejo muito interesse da parte de portugueses de virem para aqui", afirmou em entrevista à Lusa Felizbina Carmelita Gomes, há um ano e meio à frente da única instituição do território com ensino pré-escolar exclusivamente em língua portuguesa.

Além dos salários, a responsável acredita que a impossibilidade de acesso ao bilhete de identidade de residente (BIR) é outra das limitações que "prejudica mesmo" a importação de profissionais portugueses.

Macau não está a aceitar, desde agosto do ano passado, novos pedidos de residência para portugueses nos Serviços de Imigração fundamentados com o "exercício de funções técnicas especializadas", permitindo apenas justificações de reunião familiar ou anterior ligação ao território.

As novas orientações, a que a agência Lusa teve acesso, eliminam uma prática firmada logo após a transição de Macau para a China, em 1999. A alternativa para um português garantir a residência passa por uma candidatura aos recentes programas de captação de quadros qualificados.

Outra hipótese é a emissão de um 'blue card', vínculo laboral atribuído a trabalhadores não-residentes, sem benefícios ao nível da saúde ou educação.

Felizbina Carmelita Gomes, que diz estar a negociar a contratação de terapeutas da fala com o Governo, através dos serviços da Educação - o DJCN integra a rede pública de ensino gratuito -, admitiu que a falta destes profissionais é um problema generalizado em Macau e que no infantário, em particular, "há várias crianças com essa necessidade".

É necessário "pelo menos um" terapeuta para se juntar ao corpo de 53 trabalhadores do jardim-de-infância, indicou a responsável. Enquanto isso não acontece, o apoio faz-se "através dos serviços de Educação": "Mas claro que não vai ser um apoio com muita frequência", lamentou.

Contactado pela Lusa, o presidente da Associação de Terapeutas da Fala de Macau, Ronald Hoi Mang Hong, disse que 81 especialistas nesta área estão registados no território de cerca de 681 mil habitantes.

As autoridades esperam que mais jovens se dediquem ao setor e estimam que, até 2025, haja mais de cem profissionais da terapia da fala a servir a região chinesa, escreveu, em julho do ano passado, o jornal Ponto Final, citando o canal chinês da Rádio Macau.

O jardim de infância D. José Costa Nunes, com 255 alunos, foi criado em 1933 como instituição pública. No ano letivo 1998/99 tornou-se uma instituição de educação pré-escolar privada sob a tutela da Associação Promotora da Instrução dos Macaenses (APIM).

Leia Também: Macau regista 2,86 milhões de visitantes em janeiro

Quatro dias após a derrota frente ao FC Porto (1-0), na Liga dos Campeões, o Arsenal voltou à senda das goleadas, este sábado, ao derrotar o Newcastle (4-1), 'vingando-se', de certa forma, da derrota sofrida na primeira mão dos 'oitavos' da prova milionária.

Após o autogolo de Botman (18'), Kai Havertz não tardou em ampliar a vantagem (24'), Saka também contribuiu (65') e Kiwior ainda foi a tempo de fazer o 4-0 (69'), num jogo que não terminou sem antes os magpies registarem o tento de honra, aos 84 minutos, através de Willock.

Confira os lances um a um:

Leia Também: Gil Vicente-FC Porto: Dragão quer ativar 'modo Champions' no Minho

Leia Também: FC Porto anuncia lotação esgotada para Clássico frente ao Benfica

Como é habitual, Cristina Ferreira voltou a mudar de look durante a gala do 'Dança com as Estrelas'. A apresentadora começou o programa com um vestido com cauda e durante a emissão ficou com um modelo mais curto. 

Um detalhe que fez questão de realçar do seu visual lilás foram as 280 lágrimas feitas à mão.

"O trabalho de um artista deve ser valorizado", afirmou, pedindo um aplauso para o responsável pelo seu vestido. 

Veja este momento no vídeo abaixo:

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por TVI (@tvioficial)

Veja ainda nas publicações abaixo algumas fotografias dos dois visuais de Cristina Ferreira. 

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por TVI (@tvioficial)

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por TVI (@tvioficial)

Leia Também: 'Dança' com famosa lesionada e participação de Sandra Felgueiras

O Wolverhampton é conhecido por ser um dos clubes estrangeiros que mais portugueses contratou ao longo da sua história, principalmente se recordarmos os nomes de um passado mais recente.

Desde jogadores que já têm dado cartas na elite do futebol europeu a futebolistas que ainda procuram o seu espaço na principal equipa do emblema inglês, recordamos os 25 atletas inscritos na história dos Wolves.

Percorra a galeria e recorde alguns nomes sonantes.

Bom dia! Está na hora de debruçarmos a atenção sobre as primeiras páginas dos jornais nacionais deste domingo, dia 25 de fevereiro. Começamos pelo Diário de Notícias que dá conta de que "Portugal é dos países que paga mais na Europa" por telecomunicações.

O Jornal de Notícias destaca que a "heroína na Galiza bate recordes e atinge Portugal com força" e o Público traz uma investigação: "O dinheiro da mulher do cônsul romeno, os casos judiciais e outras histórias da grande 'família' do Chega".

"Pinto da Costa e mais 13 suspeitos sob escuta, Esquemas com compra e venda de jogadores" é a manchete do Correio da Manhã.

Veja abaixo os principais destaques da imprensa nacional, incluindo a desportiva, e na galeria acima as respetivas primeiras páginas:

Público:

- "Investigação. O dinheiro da mulher do cônsul romeno, os casos judiciais e outras histórias da grande 'família' do Chega"

- "Despesa do SNS com fármaco para diabetes que faz perder peso sobe 38%"

- "1939-2024. Steve Paxton, o coreógrafo que fez do andar dança"

- "Dois anos de guerra. Líderes da UE foram a Kiev mostrar apoio, EUA ausentes"

- "Novo líder da CGTP. 'Ou estamos ao lado de quem trabalha, ou de quem explora'"

 

Jornal de Notícias:

- "Heroína na Galiza bate recordes e atinge Portugal com força"

- "Apaixonados pelo tempo. Meteorologistas amadores fazem sucesso nas redes sociais"

- "Aumento de casos de reativação da varicela faz triplicar venda de vacinas"

- "O país pergunta. Partidos respondem sobre habitação. Dez personalidades da sociedade civil questionam líderes políticos através do JN. Raquel Ferreira, ativista do movimento Porta a Porta"

- "Notícias Magazine. O desafio da escola para as crianças e jovens trans"

- "Porto. Associação ajuda há 50 anos quem tem paralisia cerebral"

- "Mirandela. Uma década de espera para voltar a casa após derrocada"

- "F. C. Porto. Conceição avisa que a margem de erro no campeonato é praticamente nula"

 

Diário de Notícias:

- "Telecomunicações. Portugal é dos países que paga mais na Europa"

- "O sal não é todo igual. Os chefs revelam as diferenças"

- "António Araújo, oncologista: 'Rastreio ao cancro do pulmão permitiria poupar vidas'"

- "Em 8 cidades. Manifestantes protestam contra racismo e xenofobia"

- "Legislativas. Estabilidade e mudança lançam-se à estrada de olhos fixos no retrovisor"

- "Prova de Vida. Clara Pinto Correia"

- "Inovação. Inteligência Artificial chega ao Vaticano"

- "Guerra. Líderes ocidentais sinalizam unidade e apoio à Ucrânia"

- "Tempos de antena. De 1976 até agora"

- "Onde estava há 50 anos? Rosária Mateus, professora de piano"

 

Correio da Manhã:

- "Pinto da Costa e mais 13 suspeitos sob escuta, Esquemas com compra e venda de jogadores"

- "Corrupção desportiva: Benfica investigado em 8 casos de aliciamento"

- "Benfica - Portimonense, Schmidt muda equipa a pensar nos jogos decisivos"

- "Gil Vicente - FC Porto, Dragão sem margem de erro, diz Sérgio"

- "Rio Ave - Sporting, Rúben focado não quer tropeçar"

- "Mulher julgada: Desvia 35 mil euros de arquiteto em estado vegetativo"

- "Inteligência artificial: Comunicar com os mortos"

- "Francisco José Viegas: A reinvenção do mundo"

- "Catarredor: Uma aldeia-fantasma na serra da Lousã"

- "Especial: Adesão da Ucrânia à UE fragiliza Portugal"

- "Dois anos de terror: Homenagem aos mortos da guerra na Ucrânia"

- "Sem sinais de grávida: Cadáver de mulher em Vigo gera esperança na família"

- "Campanha eleitoral: Políticos na estrada à caça de votos"

- "Fisco: Último dia para validar faturas nas contas do IRS"

- "Diogo Ribeiro O menino de ouro"

 

O Jogo:

- "Gil Vicente - FC Porto, 'A nossa Champions é o campeonato'. Sérgio Conceição coloca carimbo de final na visita de hoje a Barcelos. Luta pelo título: 'Não podem vacilar, aqui ninguém desiste'"

- "Pinto da Costa também confiante: 'Acredito. No final faremos as contas'"

- "Rio Ave - Sporting. Amorim tem plano contra temporais. Treinador preocupado com condições meteorológicas e mau estado do terreno"

- "Baixas em todos os setores não afetam crença de Luís Freire num bom resultado"

- "V. Guimarães-Casa Pia 0-2. Dois golpes no castelo. Golos de Clayton e Pablo Roberto impedem Vitória de se instalar no quarto lugar"

- "Álvaro Pacheco: 'Resultado é injusto'. Gonçalo Santos: 'Mérito dos jogadores'"

- "Artur Jorge. Família do futebol em peso no último adeus ao campeão de Viena"

- "Benfica-Portimonense. Rui Costa exige mais a todos. Líder pretende que inconformismo da Direção chegue ao relvado"

- "Farense-Moreirense 0-1"

- "E. Amadora-Chaves 1-1"

 

A Bola:

- "'Queremos sempre mais', Rui Costa e a exigência de inconformismo na Luz"

- "'Temos opções caso aconteça alguma coisa com Gyokeres', O Paulinho continua de fora, mas Rúben Amorim lembra que o Sporting já jogou 'com um ataque mais móvel'"

- "Gil Vicente - FC Porto: 'Margem de erro é praticamente nula', Sérgio Conceição não desiste de campeonato mas avisa que vacilar pode ser fatal para o FC Porto"

- "Espanha: João Félix volta ao onze do Barcelona com golo e triunfo"

- "Hóquei em patins: FC Porto arranca empate no fim na visita ao Sporting"

- "'O mundo tem de ouvir a nossa voz, Trubin participou em vigília pela Ucrânia"

 

Record:

- "Leão leva galochas, Amorim não quer meter água em Vila do Conde"

- "Benfica - Portimonense: 'Continuo determinado', Florentino não desiste"

- "Rui Costa: 'Temos de fazer mais e melhor'"

- "Trubin na manifestação pela Ucrânia!

- "Faleceu há 10 anos Yolanda Columa recorda o pai, 'João Neves é o mais parecido com ele'"

- "Liga: Benfica e Sporting jogam em dia de eleições"

- "'A nossa Champions é o Campeonato', Sérgio não atira a toalha ao chão"

- "Pinto da Costa admite saída de Taremi, 'Desejamos-lhe felicidades'"

- "Hóquei em patins: Dragão empata no final"

- "Arábia Saudita: Vítor Pereira e o duelo com o craque, 'Ronaldo teve impacto brutal'"

Leia Também: Hoje é notícia: 30 mil alunos sem professores; Droga às claras em Lisboa

Quatro dias depois de derrotar o Arsenal (1-0) na Liga dos Campeões, o FC Porto volta a competir na I Liga, este domingo, na deslocação ao reduto do Gil Vicente, em Barcelos, numa altura em que se encontra a sete pontos dos líderes Sporting (menos um jogo) e Benfica.

A margem de erro dos dragões (com vários ausentes) é particularmente curta e Sérgio Conceição fez questão de vincar isso mesmo na conferência de antevisão ao duelo da 23.ª jornada, isto já depois de ter regressado aos triunfos no campeonato, diante do Estrela da Amadora (2-0) no fim de semana passado.

Já a equipa de Vítor Campelos chega a esta fase da prova a meio da tabela, mas quererá fechar a questão da manutenção o quanto antes, sendo que o último triunfo (já depois de três derrotas), diante do Estoril (1-3), poderá servir como um 'embalo' - precisamente a palavra que também se aplica à moral conquistada pelos azuis e brancos ao terem vencido os gunners no último minuto.

O jogo tem apito inicial agendado para as 18 horas (horário de Portugal Continental) deste domingo, com arbitragem de Fábio Veríssimo, sendo que poderá acompanhar as incidências da partida, em direto, no Desporto ao Minuto.

Treinadores em discurso direto

Vítor Campelos:

Momento do FC Porto: "Ainda agora venceu o Arsenal e isso demonstra todo o poderio do FC Porto, mas nós também temos as nossas armas, somos das equipas com mais pontos em casa e, respeitando muito o adversário, queremos fazer um bom jogo, porque sabemos que jogando bem estamos mais perto de ganhar", disse o técnico na conferência de imprensa de antevisão.

Sensação de defrontar um 'grande': "Nestes jogos, o treinador não precisa de estar a motivar tanto os jogadores, os níveis de concentração e motivação são grandes, o FC Porto é sempre o FC Porto, um dos grandes do nosso campeonato. Em casa, temos dado uma boa resposta e queremos apresentar-nos fortes, com confiança para se possível ficar com os três pontos", disse.

Setas ofensivas dos dragões: "Ainda não sabemos o 'onze' que o Sérgio [Conceição, treinador do FC Porto] vai apresentar, vai depender muito disso. Sabemos que o Francisco Conceição e o Galeno são muito fortes no um para um, é uma equipa forte nas bolas paradas e que gosta de ter bola e quando não a tem sente algum desconforto, como aconteceu no jogo no Dragão [na primeira volta, derrota por 2-1], fizemos um bom jogo aí, houve equilíbrio".

Sérgio Conceição:

Análise ao Gil Vicente: "Dentro daquilo que é a nossa base, os jogadores estão identificados com o que há para fazer, sempre com uma ou outra nuance. O Gil Vicente está a fazer um campeonato tranquilo, tem um treinador experiente nestas andanças. O Vítor Campelos trabalhou comigo no Vitória. Já conseguiram classificações interessantes, com bons jogadores. Espero dificuldades. Temos de fazer mais do que aquilo que fizemos na última deslocação [ao reduto do Arouca]".

Confiança em cima de triunfos: "O nosso trabalho é passar essa mensagem. Perceber que a nossa Champions e o nosso principal objetivo passa pelo campeonato. A forma de olhar para os jogos tem de ser sempre igual. Com muito foco, determinados e também a olhar para o adversário. Todos os jogos são diferentes. Temos de estar num patamar bem acima do que fizemos em Arouca".

Repetir a faceta da Liga dos Campeões: "Não demos a bola ao adversário. Tiveram mérito pelos jogadores que tem. Houve momentos que defendemos mais baixo, outros em que pressionámos na grande área adversária. Se é possível em contexto interno? É, claro. Mas está relacionado com o que queremos bloquear no adversário. Os jogos não são iguais. Eles no próximo jogo, em Londres, vão criar-nos problemas diferentes. Teremos de ter outras respostas. O que é possível fazer na Liga dos Campeões, é também possível fazer aqui".
 

Últimos resultados

Gil Vicente: V-D-D-D-V

FC Porto: V-V-D-E-V

Últimos onzes

Gil Vicente: Adrew Ventura, Alex Pinto, Gabriel Pereira, Rúben Fernandes, Leonardo Buta, Maxime Dominguez, Mory Gbane, Pedro Tiba, Murilo Souza, Tidjany Touré, Félix Correia

FC Porto: Diogo Costa, João Mário, Pepe, Otávio Ataíde , Wendell, Nico González, Alan Varela, Francisco Conceição, Pepê, Wenderson Galeno, Evanilson

Ausências

Gil Vicente: Depú, Kiko Pereira e Zé Carlos (lesionados).

FC Porto: Wendell, Gonçalo Ribeiro, Marcano, Zaidu e Mehdi Taremi (lesionados).

Leia Também: "Luta pelo título? No FC Porto ninguém desiste, mas lutar contra dois..."

Hoje é dia de um autêntico 'domingo gordo', no principal escalão do futebol português, com Benfica, FC Porto e Sporting a irem a jogo, no espaço de poucas horas, perante Portimonense, Gil Vicente e Rio Ave, respetivamente.

Os leões começam o dia na liderança da I Liga, com 55 pontos, tantos quanto os encarnados, que entrarão em campo primeiro, no estádio da Luz, o que significa que, quando entraram no Estádio dos Arcos, em Vila do Conde, já saberão o que terão de fazer para, pelo menos, manterem esta condição.

Os homens de Luís Freire, por seu lado, vivem uma situação bem mais delicada, uma vez que mora, atualmente, na 16.ª posição, imediatamente abaixo da 'linha de água', com 21 pontos conquistados ao cabo de 22 jornadas disputadas.

Rúben Amorim alertou, na véspera, para as condições atmosféricas (e não só) que a equipa irá ter pela frente. No entanto, é preciso recordar que este é um recinto, até, 'simpático' para os verde e brancos, que já lá não perdem desde... 2016.

O Rio Ave-Sporting vai contar com a arbitragem de André Narciso, juiz da Associação de Futebol de Setúbal, e pode acompanhá-lo, em direto, a partir das 20h30 (hora de Portugal Continental), no Desporto ao Minuto.

Treinadores em discurso direto

Luís Freire

Sporting: Não é todos os dias que temos a oportunidade de jogar contra um adversário que está em primeiro ou em segundo. É um jogo onde temos pouco a perder, porque o Sporting tem ganhado a quase toda a gente e 'cilindrado', com uma média de três golos por desafio. Vejo uma oportunidade para nos pormos à prova e mostrarmos a nossa qualidade.

Estratégia: Sabemos o que temos de fazer, e também sabemos como joga o Sporting. Tem sido a melhor equipa do campeonato, com um ataque muito finalizador, boa capacidade ofensiva e defensivamente estável. Estão moralizados, mas sinto que podemos surpreender.

Condições adversas: Estamos aptos a, durante o jogo, responder aos vários desafios que surgirem, até o próprio vento e a própria chuva. Temos muitos jogos frente ao Sporting nos últimos anos e não é difícil perceber o que vamos fazer. Não nos vamos desviar do que somos e do queremos para discutir o jogo.

Rúben Amorim

Rio Ave: O mister Freire fez, como sempre, o seu trajeto a subir de divisão. É alguém com muito talento para o treino. Reforçou-se bem, teve um período onde não podia contratar e aumentou as soluções. Aumentou na velocidade.

Calendário: Foi difícil, porque não sabíamos com que contar. Sejam boas ou más notícias, a incerteza é o que me custa mais. Não vou dizer que é a 100%, mas vamos jogar no domingo com o Farense, a Taça de Portugal na quinta-feira e a Atalanta é na quarta-feira. Três jogos muito difíceis, onde temos de ganhar e onde se decidem competições. No campeonato, não podemos perder pontos. É pensar num de cada vez. Agora, é o Rio Ave. Sabemos que será muito difícil. Se pensarmos muito à frente, será muito complicado.

Abordagem: É o mesmo de sempre, é conhecer bem o adversário, as ideias do treinador, as caraterísticas individuais do treinador... O Rio Ave, agora, com mais opções, muda mais o onze. Principalmente, temos de conhecer as caraterísticas do campo, o vento, a chuva... Trabalhámos quase em correr. Fizemos muito trabalho tática. Temos um plano para se o relvado der para jogar, e temos outro se o campo não der para jogar e tivermos de fazer um jogo mais direto.

Últimos jogos

Rio Ave: E-E-E-V-D

Sporting: V-V-V-V-E

Últimos onzes

Rio Ave: Jhonatan Luiz; Costinha, Josué Sá, Aderllan Santos, Miguel Nóbrega, Fábio Ronaldo; João Teixeira, Amine Oudrhiri; João Graça, Úmaro Embaló e Yakubu Aziz.

Sporting: Antonio Adán; Ricardo Esgaio, Eduardo Quaresma, Ousmane Diomane, Gonçalo Inácio, Matheus Reis; Morten Hjulmand, Daniel Bragança; Marcus Edwards, Francisco Trincão e Viktor Gyokeres.

Ausências

Rio Ave: Aderllan Santos (castigado), André Pereira (lesionado) e Mateo Tanlongo (emprestado pelo Sporting).

Sporting: Paulinho (lesionado).

Leia Também: "Toda a gente vai estar à espera que o Sporting perca pontos"

Benfica recebe o Portimonense neste domingo, em jogo relativo à jornada 23 do campeonato, em jogo entre o primeiro classificado enquanto o Portimonense se encontra no 13.º posto. As águias têm mais do dobro dos pontos dos algarvios, neste caso 52, enquanto a equipa de Paulo Sérgio soma 22. 

O Benfica chega ao jogo na liderança da Primeira Liga, ainda que tenha os mesmos 55 pontos que o Sporting, ainda que os leões tenham um jogo a menos. Os encarnados estão num grande momento de forma e nos últimos 21 jogos em todas as competições perderam apenas um, na Taça da Liga contra o Estoril, nos penáltis.

Nos últimos cinco jogos, o Portimonense ganhou apenas uma vez. O Benfica tem poucas baixas, nomeadamente Juan Bernat, lateral-esquerdo espanhol que está lesionado e fica de fora das contas de Roger Schmidt. O Portimonense tem mais baixas, neste caso Lucas Ventura, Paulo Estrela, Tamble Monteiro. 

Em 52 jogos, o Portimonense só ganhou duas vezes ao Benfica. Conseguirá obter a terceira? Acompanhe o jogo, em direto, mais logo, com o Desporto ao Minuto.

Treinadores

Roger Schmidt: (não fez antevisão, por questões de calendário)

Ruben de La Barrera:

Antevisão. "Amanhã [domingo] tem de ser o nosso dia, com isso dizemos tudo. Precisamos de todos, falo também dos nossos adeptos, que terão de converter-se no 12.º jogador, puxando pela equipa. Esperamos o melhor da equipa para este encontro para que possamos voltar aos bons resultados"

Calendário. "Ao nível de calendário de jogos e datas agora começou uma Liga nova para nós. Temos um primeiro desafio e sabemos que um bom rendimento pode conduzir a uma vitória, que nos pode aproximar do objetivo e ajudar em termos emocionais, uma subida anímica. Estes jogos com adversários diretos farão com que nos possamos aproximar. É um jogo mesmo muito importante, estamos conscientes disso, estamos a treinar muito bem. Não há motivos para duvidar dos nossos jogadores. Acreditamos que o resultado correrá a nosso favor", frisou.

Últimos resultados

Benfica: V-E-V-V-E

Portimonense: D-V-D-D-E

Últimos onzes

Benfica: Anatoliy Trubin, Alexander Bah, António Silva, Nicolás Otamendi, Morato, João Mário, João Neves, Ángel Di María, Rafa Silva, David Neres, Casper Tengstedt

Portimonense: Kosuke Nakamura, Alemão, Pedrão, Filipe Relvas, Igor Formiga, Carlinhos, Dener, Lucas Ventura, Sylvester Jasper, Hildeberto Pereira, Hélio Varela

Ausências

Benfica: Juan Bernat (lesão)

Portimonense: Lucas Ventura (castigo), Paulo Estrela, Tamble Monteiro (lesão)

Leia Também: Portimonense tem de simplificar para discutir resultado com Benfica

 

Os contribuintes têm até segunda-feira, dia 26 de fevereiro, para validar as faturas no Portal das Finanças para efeitos do IRS. Se ainda não foi ao e-Fatura este ano, está mesmo na altura de lá ir, de modo a aproveitar todas as deduções a que tem direito. 

Até amanhã, refira-se, os contribuintes devem consultar, registar e/ou confirmar as faturas de todos os membros do agregado familiar e eventual afetação a atividade comercial/profissional

"Até dia 26 de fevereiro valide as suas faturas e as dos seus dependentes para poder beneficiar das deduções no IRS de 2023. Se tem atividade empresarial e profissional afete as respetivas despesas", pode ler-se no Portal das Finanças. 

Pode fazê-lo através deste link

Em que situações as faturas ficam pendentes? E o que deve fazer?

De acordo com a Autoridade Tributária (AT), as faturas ficam identificadas como 'pendentes' em duas circunstâncias:

  • Quando o emitente possua diversas atividades;
  • Nos casos em que o adquirente tenha atividade.

Segundo o Fisco, na primeira situação o "adquirente deve classificar as faturas no setor correto", ao passo que no segundo caso o "adquirente deve indicar se a fatura é referente a uma despesa da sua atividade profissional e assinalar a correspondente 'Atividade de Realização da Aquisição'".

Leia Também: "Fundamental para garantir as deduções". Já validou as faturas do IRS?

 

Após a 'despromoção' de Neemias Queta aos Maine Celtics, os Boston Celtics somou mais um triunfo na NBA, na madrugada deste domingo, frente aos New York Knicks, por 116-102.

O emblema de Boston fechou o primeiro período em vantagem (30-24) e manteve a diferença de quatro pontos ao intervalo, com um 62-58 no marcador. Os Celtics 'cavaram' distâncias no terceiro quarto (35-26) e nem o quarto período (18-19) fez 'tremer' os líderes da NBA.

De referir que Neemias Queta, entre algumas oscilações, acabou por protagonizar um 'show' pelos Maine Celtics na madrugada do passado sábado.

Com este resultado, os Celtics mantêm-se na liderança da Confederação Este, com 45 vitórias e 12 derrotas, enquanto os Knicks seguem na quarta posição, com 34 triunfos e 23 desaires.

Leia Também: Neemias Queta 'desceu' um patamar nos Celtics e já respondeu com 'show'

Leia Também: Todos jogaram, menos Neemias Queta. Celtics seguem imparáveis

A deslocação do Sporting de Braga ao estádio do Bessa, esta segunda-feira, ficará marcada, incontornavelmente, por uma marca redonda alcançada por Artur Jorge no comando técnico dos minhotos.

O treinador de 52 anos vai cumprir o 100.º jogo ao serviço do clube arsenalista, no duelo da 23.ª jornada frente ao Boavista, numa altura em que enfrenta uma espécie de 'depressão' no Minho, recordou o jornal O Jogo na sua edição impressa deste domingo.

Apesar de ter vencido os últimos dois jogos, frente a Farense (2-1) e Qarabag (2-3, após prolongamento), o Sporting de Braga não apresentou os níveis exibicionais desejados e ainda caiu das competições europeias, já depois dos pesados resultados frente a Sportitng (5-0) e Qarabag (2-4).

De referir que, nos 99 jogos que conta como treinador da equipa principal do Sporting de Braga, Artur Jorge venceu por 61 ocasiões, empatou em 14 jogos e perdeu 24 duelos. A aventura arrancou ainda no decorrer da época 2019/20, num período transitório, acabando depois por regressar aos sub-23 e à equipa B antes de ser aposta de António Salvador para a sucessão de Carlos Carvalhal, na temporada passada.

Leia Também: Há 'alerta amarelo' no Benfica. António Silva em risco de falhar Clássico

Como é habitual, foi transmitida na noite de sábado, dia 24 de fevereiro, mais uma emissão do programa 'Dança com as Estrelas', da TVI. 

Desta vez, a concorrente famosa Luisinha não participou devido a uma lesão que sofreu durante os ensaios, estando neste momento com o braço ao peito. Informação que a própria explicou durante a gala. 

Houve também uma convidada especial. A jornalista Sandra Felgueiras surpreendeu tudo e todos ao dançar tango fusion. Veja aqui

Outro dos momentos altos da noite foi quando Ana Guiomar dançou quizomba. Veja aqui

Mas recuando à abertura do programa, desta vez foi David Carreira quem começou a gala com uma atuação

Leia Também: Matilde Breyner mostra bastidores do 'Dança' com a filha e o marido

O Benfica mede forças com o Portimonense, este domingo, no regresso à I Liga, num jogo em que há um cenário de 'alerta amarelo' para António Silva, que está em risco de falhar o Clássico no Dragão.

Já com quatro cartões amarelos recebidos no campeonato até à 22.ª jornada, o central das águias sabe que, caso veja novo cartão amarelo, ficará automaticamente de fora do duelo frente ao FC Porto, agendado para o próximo domingo, dia 3 de março.

Ainda assim, tal cenário não deverá impedir Roger Schmidt de apostar na titularidade do jovem defesa que, esta época, já viu dois cartões vermelhos - ambos na Liga dos Campeões.

De referir que, esta temporada, António Silva já apontou dois golos em 34 jogos.

Leia Também: Gyokeres fecha 'ronda' da I Liga pelo Sporting em Vila do Conde

Leia Também: FC Porto anuncia lotação esgotada para Clássico frente ao Benfica

O Sporting é o último dos três 'grandes' a entrar em ação na 23.ª jornada da I Liga, este domingo, em Vila do Conde, com um dado curioso a envolver Viktor Gyokeres.

Já depois de ter experimentado a sensação de defrontar 16 equipas do campeonato português, o internacional sueco prepara-se para medir forças, pela primeira vez, com o Rio Ave, uma vez que tinha falhado o encontro da primeira volta, em Alvalade (2-0), recorda o jornal A Bola na sua edição impressa deste domingo.

Nesse encontro, em 25 de setembro de 2023, Viktor Gyokeres apresentou problemas físicos e ficou de fora da convocatória, acabando por ver, a partir da bancada, os golos decisivos de Paulinho e Marcus Edwards.

Recorde-se que, entre as 16 equipas que defrontou, há já dez 'vítimas' do faro goleador do avançado nórdico: Vizela, Moreirense, Arouca, Benfica, Gil Vicente, FC Porto, Farense, Casa Pia, Portimonense e Sporting de Braga.

Leia Também: FC Porto anuncia lotação esgotada para Clássico frente ao Benfica

O FC Porto informou, na noite deste sábado, que já não há mais bilhetes para o grande Clássico, frente ao Benfica, referente à 24.ª jornada da I Liga, no próximo domingo, dia 3 de março.

Dessa forma, o Estádio do Dragão contará com lotação esgotada para aquele que será o 255.º duelo entre dragões e águias.

Recorde-se que, por esta altura, o conjunto de Sérgio Conceição encontra-se a sete pontos da liderança, partilhada por Benfica e Sporting, ainda que os leões contem com menos um jogo realizado.

De qualquer das formas, estas contas ainda poderão sofrer alterações, uma vez que, este domingo, os três 'grandes' entram em ação na 23.ª ronda do campeonato.

Leia Também: Otávio confessa: "Tenho vontade de voltar ao FC Porto, mas..."

São vários os temas que marcam a imprensa desportiva internacional deste domingo.

Em Espanha, os destaques dividem-se entre a goleada do Barcelona ao Getafe (4-0), com o contributo de João Félix, antecedendo a ida do "inimigo íntimo" Sergio Ramos ao reduto do Real Madrid, desta vez com a camisola do Sevilla.

Por Itália, já se fala dos jogos de Inter, Napoli e AC Milan, este domingo, nas contas do campeonato, enquanto a imprensa inglesa realça, sobretudo, os 'sarilhos' em que está colocado o Manchester United, após a derrota frente ao Fulham (1-2), de Marco Silva.

Percorra a galeria e confira as capas e os principais destaques da imprensa desportiva internacional deste domingo.

Leia Também: Lá fora: Espanha olímpica, Valencia de luto e Klopp ao rubro

Leia Também: Lá fora: Dani Alves "culpado" e Kroos surpreende na Alemanha

Leia Também: Lá fora: Liverpool segue no trono da Premier e há "agonia" para Arsenal

As capas dos jornais desportivos nacionais deste domingo focam-se, sobretudo, em temas relacionados com cada um dos três 'grandes' de Portugal.

Benfica, Sporting e FC Porto entram em ação na I Liga, já depois de terem disputado as competições europeias, preenchendo as manchetes de A Bola, Record e O Jogo, respetivamente. As águias recebem o Portimonense, os leões jogam no reduto do Rio Ave e os dragões deslocam-se até Barcelos, para defrontar o Gil Vicente.

Além disso, as palavras de Rui Costa a propósito da cerimónia afeta aos sócios com 25, 50 e 75 anos, onde ambicionou "sempre mais", também fizeram eco na imprensa desportiva, assim como as conferências de antevisão de Rúben Amorim e Sérgio Conceição, enquanto Roger Schmidt nem sequer prestou declarações antes do jogo frente ao Portimonense

Percorra a galeria e confira as capas e os principais destaques da imprensa desportiva nacional deste domingo.

Leia Também: Por cá: Diogo Ribeiro ambiciona mais e Otávio enaltece Pepe

Leia Também: Por cá: Portugal chora por Artur Jorge e Europa "só para grandes"

Leia Também: Por cá: FC Porto sorri na Champions e seguem-se Sporting, Benfica e Braga

"Passaram 50 anos, mudou-se uma geração. Há gente mais nova no mundo (...) a nossa diáspora tem vontade de saber o que aconteceu ao país e tem a necessidade de saber o que aconteceu" no 25 de Abril, afirmou João Pedro Fins do Lago.

O diplomata falava à agência Lusa, em Caracas, no âmbito de um ciclo de conferências sobre a Revolução dos Cravos que teve como convidado o sociólogo e historiador português António Costa Pinto e que marcou o início das celebrações locais para assinalar os 50 anos do 25 de abril de 1974.

"O 25 de abril tem uma dimensão potencial mediática que ainda não foi suficientemente explorada. Penso que os 50 anos são um ponto de partida para transmitirmos essa mensagem tão importante para o mundo que o 25 de abril permanece atual", disse.

O diplomata frisou ainda que "é preciso estar permanentemente a despertar a consciência para aquilo que o 25 de abril alterou em Portugal e no mundo inteiro".

"[E] manter essa memória viva e com a distância que nos dá o cinquentenário, com a frieza que nos permite olhar para trás, perceber aquilo que de útil resultou para Portugal e para o mundo, é algo que nos move este ano nas comemorações que estamos a fazer", acrescentou.

"Lembramos hoje aqueles que há 50 anos atrás naquela madrugada permitiram aquela mudança, mas estamos também com os mais jovens hoje", defendeu, assinalando que "o 25 de abril permanece atual" e que é um "caminho para a democracia, como é um caminho para o desenvolvimento".

Sobre o ciclo de conferências, que tiveram lugar em Maracay, na Universidade Pedagógica Experimental Libertador e em Caracas, na Universidade Central da Venezuela e na Universidade Católica Andrés Bello, explicou que marcou "o início de um ano de comemorações do 25 de abril", localmente.

"É muito importante para Portugal, mas é muito importante também, em termos internacionais e seguramente para a América Latina. O 25 de abril é uma revolução. Começa por ser um golpe de Estado e é logo de seguida uma revolução, sem derramamento de sangue, que inicia uma vaga de mudanças pelo mundo inteiro, em termos de alteração de regime", frisou.

E, "teve, portanto, consequências enormes para os portugueses. Fez, em grande parte de Portugal, aquilo que somos hoje, um país desenvolvido e avançado e deu-nos a hipótese mais adiante de nos integrarmos na Europa. É, portanto, uma página incontornável da história portuguesa, uma página da história mundial e que assinalamos conjuntamente com a Venezuela e com a comunidade portuguesa durante este ano".

João Pedro Fins do Lago frisou ainda que "a mensagem, talvez, mais duradora e mais original de 25 de Abril, é que é possível a mudança de um regime de modo pacífico sem qualquer derramamento de sangue e com um efeito durador".

"É a grande lição que dá o 25 de Abril e que continua a ter atualidade nos dias de hoje pelo mundo inteiro. Merece, portanto, ser assinalado não só como um facto histórico, mas como um ponto de partida que se mantém atual nos dias de hoje", concluiu.

Leia Também: 25 Abril. "Não há riscos particulares para a democracia em Portugal"

Num comunicado, a CIDH explica que José António Navarro Hevia foi funcionário de carreira do Ministério da Defesa da Venezuela entre 1978 e 2001.

"Em janeiro de 2000, foi-lhe instaurado um inquérito administrativo por alegadamente atentar contra o bom nome e os interesses do Ministério da Defesa, após ter denunciado atos de corrupção e ter recebido pelo menos cinco repreensões", diz a CIDH.

"Nesse mesmo ano, o Ministro da Defesa demitiu-o do cargo de Analista de Pessoal III, invocando três repreensões escritas anteriores, e posteriormente suspendeu-o do seu cargo com remuneração por até 60 dias úteis para continuar as investigações. Navarro interpôs vários recursos internos que não foram resolvidos, incluindo um recurso hierárquico para o Presidente da República em 1999 e 2000", de acordo com o comunicado.

 Segundo a CIDH, "a norma aplicada a Navarro Hevia é ampla, gera insegurança jurídica e permite a arbitrariedades".

Por outro lado, ainda segundo a CIDH, "o comportamento pelo qual foi repreendido (...) não foi definido como motivo de repreensão, pelo que o Estado violou o princípio da legalidade".

"Sobre os princípios da independência e da imparcialidade, a CIDH constatou irregularidades no processo administrativo. Registou um contexto de perseguição de funcionários públicos da oposição, em que Navarro Hevia fez críticas públicas ao Governo e denúncias de corrupção, e concluiu que o Estado não garantiu o acesso a autoridades imparciais no processo administrativo", de acordo com o comunicado.

"A CIDH observou que a administração levou pelo menos nove anos para emitir decisões finais, um período de tempo não razoável", acrescenta.

"Este atraso violou os direitos ao devido processo e à proteção judicial. A admoestação por procurar informação e denunciar a corrupção constituiu uma restrição ilegítima à liberdade de expressão, que afetou o debate público e o controlo democrático", explica.

No comunicado, a CIDH diz ainda que "as admoestações privaram injustamente Navarro Hevia do seu emprego e que, na ausência de recursos efetivos para corrigir esta situação, o Estado violou o seu direito ao trabalho".

"O Estado venezuelano é responsável pela violação" de garantias judiciais, princípio da legalidade, liberdade de circulação e de expressão e proteção judicial, de acordo com o comunicado.

A CIDH recomendou que o Estado venezuelano tome medidas para "reparar material e imaterialmente a Navarro Hevia com uma compensação financeira" e "adotar medidas para evitar a repetição de violações, especialmente relacionadas com a restrição do direito à liberdade de expressão dos funcionários públicos que denunciam atos de interesse geral ou alegada corrupção".

A Venezuela deve também "adotar medidas legislativas para assegurar uma fundamentação clara e exaustiva dos processos disciplinares que garanta a segurança jurídica e o princípio da legalidade" e "promover a criação de mecanismos eficientes, transparentes e responsáveis para receber e processar queixas de alegados atos de corrupção", acrescentou a CIDH.

Leia Também: CIDH pede à Venezuela para repensar decisão de expulsar pessoal da ONU

Nesta modalidade, os eleitores inscrevem-se num local de voto à sua escolha num município do continente ou das regiões autónomas dos Açores e da Madeira, através de meio eletrónico em www.votoantecipado.mai.gov.pt ou por correio enviado para a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

O voto antecipado em mobilidade, em território nacional, tem de ser exercido no dia 03 de março, ou seja, sete dias antes das eleições, numa mesa a constituir em cada município, escolhida pelo eleitor.

Caso o eleitor se tenha inscrito para votar em mobilidade mas não consiga exercer esse direito na data prevista, 03 de março, poderá votar no dia das eleições legislativas, 10 de março, na assembleia ou secção de voto na qual se encontra recenseado.

Instituída com a entrada em vigor da Lei Orgânica n.º 3/218, por ocasião da eleição de deputados portugueses ao Parlamento Europeu em 2019, a modalidade de voto antecipado em mobilidade foi escolhida por 285.848 nas eleições legislativas de 2022.

Nas eleições europeias de 2019, votaram em mobilidade 13.455 eleitores, número que aumentou para 50.638 nas legislativas do mesmo ano, e para 197.903 nas presidenciais de 2021, realizadas durante a pandemia de covid-19.

Leia Também: Voto antecipado em mobilidade cresceu mais de 20 vezes desde 2019

De acordo com um vídeo publicado nas redes sociais pelo assessor de Trump, Dan Scavino, os dois políticos encontraram-se nos bastidores minutos antes do antigo chefe de Estado norte-americano discursar no mesmo evento, tendo dado um aperto de mãos, um abraço e conversado casualmente, além de tirarem fotografias juntos.

"Fazer a Argentina grande novamente", gritou Trump efusivamente para Milei, aludindo ao seu famoso 'slogan' de campanha "Fazer a América grande novamente", ao qual o Presidente argentino respondeu: "Viva a liberdade".

No seu discurso na Conferência da Ação Política dos Conservadores (CPAC, na sigla em inglês), o maior encontro anual da direita americana que terminou no sábado em Maryland e que a agência Lusa acompanhou, Trump também fez referências ao argentino, que descreveu como "um grande cavalheiro" e "muito popular".

"Ele é um ótimo sujeito e um dos poucos que podem 'fazer' a Argentina grande novamente", acrescentou.

Após mais de uma hora e meia de discurso do candidato favorito dos eleitores Republicanos à Casa Branca e de uma breve intervenção de Eduardo Bolsonaro, filho do ex-presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, foi a vez de Milei discursar na CPAC.

Gritando "sou um leão" e "viva a liberdade", Milei subiu ao palco do evento e ofereceu uma análise densa dos impactos negativos da intervenção governamental no crescimento de um país.

Numa sala que praticamente se esvaziou com a saída de Trump, Milei adotou um tom monótono que deixou o público apático, que só aqueceu com as suas palavras finais, através das quais encorajou os participantes a não deixarem o socialismo avançar. 

"Não apoiem a regulação. Não apoiem a ideia de falhas de mercado. Não permitam que a agenda assassina avance e não se deixem levar pelo canto da sereia da justiça social", instou.

"Venho de um país que comprou todas aquelas ideias estúpidas e, de um dos países mais ricos do mundo, agora estamos na posição 140. Não desistam da vossa liberdade, lutem pela vossa liberdade, porque se não lutarem pela liberdade, vão levar-vos à miséria", concluiu.

Milei viajou para os Estados Unidos horas depois de ter recebido em Buenos Aires o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, diante de quem defendeu a ideia de que a Argentina "decidiu voltar para o lado do Ocidente, para o lado do progresso", segundo disse à imprensa.

Apesar da proximidade de Milei com Trump, a administração norte-americana (Democrata) liderada pelo Presidente Joe Biden tem vindo a construir uma relação estreita com o novo Governo argentino nos seus primeiros dois meses de mandato. 

Leia Também: Governo Milei acumula 51% de inflação em dois meses

O secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, tem apenas um ponto de agenda previsto para o primeiro dia oficial de campanha e será um almoço no Centro de Desporto e Congressos de Matosinhos, no distrito do Porto.

Já o presidente do PSD, Luís Montenegro, em representação da Aliança Democrática (AD, que junta sociais-democratas, CDS-PP e PPM) tem previstas três ações, começando o dia com um contacto com população em Mirandela, no distrito de Bragança.

De seguida, Luís Montenegro estará a cerca de quinze quilómetros do socialista Pedro Nuno Santos, num almoço-comício na Maia, distrito do Porto, terminando o dia em Vila Real.

Fora dos primeiros três dias de campanha fica Nuno Melo, presidente do CDS-PP, após infeção pelo vírus Covid-19.

A norte estará também o presidente do Chega, André Ventura, que tem prevista uma arruada à tarde na Rua de Santa Catarina, no Porto, e um comício em Lousada, à noite.

Pelo Porto andará também o secretário-geral do PCP, Paulo Raimundo, com um comício da CDU (coligação que junta comunistas e PEV) no teatro Rivoli.

A coordenadora do BE, Mariana Mortágua, começa o primeiro dia de campanha na Marinha Grande, distrito de Leiria, num encontro com utentes do Serviço Nacional de Saúde e termina em Viseu, com um comício pela hora do almoço.

Mais a sul estará o presidente da Iniciativa Liberal, Rui Rocha, que centra as suas ações no tema da educação entre Setúbal e Évora. De manhã, Rocha terá um encontro com a associação de pais da Escola Básica de Azeitão, seguido de um almoço em Palmela dedicado ao mesmo tema.

O dia liberal termina em Évora, numa visita ao Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia.

Os dois deputados únicos, Inês Sousa Real (PAN) e Rui Tavares (Livre), dão o pontapé de saída para a campanha na capital.

A líder do PAN tem agendada uma "Cãominhada" e contacto com a população no Parque das Nações.

Já o porta-voz do Livre inaugura um 'outdoor' [cartaz] em Lisboa e segue para uma festa-comício de início de campanha, que contará com uma intervenção do historiador e deputado único, no Teatro Thalia.

A legislatura atual, que terminaria apenas em 2026, foi interrompida na sequência da demissão do primeiro-ministro, António Costa, em 07 de novembro, após ter sido tornado público que era alvo de um inquérito judicial instaurado pelo Ministério Público no Supremo Tribunal de Justiça a partir da Operação Influencer.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, aceitou de imediato a demissão do primeiro-ministro e dois dias depois anunciou ao país a dissolução do parlamento e a convocação de eleições legislativas antecipadas para 10 de março.

Leia Também: Campanha em Lamego (onde está Montenegro)? "Não há cá marcação cerrada"

Uma delegação israelita chefiada pelo chefe da Mossad (serviços secretos israelitas), David Barnea, deslocou-se na sexta-feira a Paris para prosseguir os contactos sobre um projeto de trégua discutido no final de janeiro na capital francesa com os seus homólogos norte-americano e egípcio e o primeiro-ministro do Qatar.

"A delegação regressou de Paris, e existe provavelmente matéria para avançar na direção de um acordo", declarou na noite de sábado à cadeia televisiva israelita N12Tzachi Hanegbi, um conselheiro para a segurança nacional do primeiro-ministro israelita (Benjamin Netanyahu).

"A delegação pediu para informar o gabinete de guerra sobre os resultados da cimeira de Paris e é por isso que o gabinete de guerra se vai reunir esta noite [sábado] por telefone", acrescentou a mesma fonte, pouco antes do início da reunião.

Entretanto, os 'media' israelitas indicaram que durante a noite de sábado o gabinete de guerra concluiu o seu encontro e forneceu autorização para o envio, nos próximos dias, de uma delegação ao Qatar para prosseguir estas negociações na perspetiva de um acordo para uma trégua de várias semanas que inclua a libertação de reféns em troca de prisioneiros palestinianos detidos em prisões israelitas.

No final de novembro, uma primeira trégua de uma semana negociada sob a égide do Qatar, e ainda do Egito e Estados Unidos, permitiu a libertação de mais de uma centena de reféns detidos pelo Hamas e de 240 palestinianos presos em Israel.

Milhares de pessoas voltaram a reunir-se em Telavive no sábado na "praça dos reféns" para pedir ao Governo que facilite a libertação das pessoas ainda retidas em Gaza na sequência do ataque do Hamas em 07 de outubro.

O movimento islamita palestiniano solicitou um "cessar-fogo completo" e a retirada das forças israelitas da Faixa de Gaza, pedidos considerados "delirantes" por Netanyahu, cujo Governo parece disposto a conceder uma pausa nos combates mas afirma pretender prosseguir a sua operação militar contra o Hamas.

Após as operações terrestres na cidade de Gaza e em Khan Yunis, Israel prepara-se para uma ofensiva terrestre em Rafah, o último bastião local do Hamas onde de concentram cerca de 1,5 milhões de palestinianos, na sua maioria deslocados pelos combates e os bombardeamentos aéreos no restante enclave.

"Trabalhamos para obter um outro plano para a libertação das nossas pessoas sequestradas, e ainda para concluir a eliminação dos batalhões do Hamas em Rafah", revelou no sábado à noite Benjamin Netanyahu em comunicado.

Após a reunião sobre as negociações de Paris "convocarei o gabinete no início da próxima semana para aprovar os planos operacionais de ação em Rafah, incluindo a retirada da população civil", acrescentou, num momento em que a ONU e outros atores internacionais já advertiram para uma catástrofe humanitária.

O conflito em curso entre Israel e o Hamas foi desencadeado pelo ataque do movimento islamita em território israelita em 07 de outubro.

No ataque de 07 de outubro, cerca de 1.200 pessoas foram mortas, na sua maioria civis, mas também perto de 400 militares, segundo os últimos números oficiais israelitas. Cerca de 240 civis e militares foram sequestrados, com Israel a indicar que mais de 100 permanecem na Faixa de Gaza, território controlado pelo Hamas desde 2007.

Em retaliação, Israel, que prometeu destruir o movimento islamita palestiniano, bombardeia desde então a Faixa de Gaza, onde, segundo o governo local liderado pelo Hamas, já foram mortas mais de 29 mil pessoas, na maioria mulheres, crianças e adolescentes.

A população da Faixa de Gaza também se confronta com uma crise humanitária sem precedentes, devido ao colapso dos hospitais, o surto de epidemias e escassez de água potável, alimentos, medicamentos e eletricidade.

Leia Também: Hamas está a entregar medicamentos aos reféns em Gaza, anuncia Qatar

"Sou uma mulher de palavra. Não vou abandonar esta luta", disse Haley a apoiantes durante um comício em Charleston, a maior cidade do estado da Carolina do Sul, no sudeste dos Estados Unidos, do qual foi governadora durante seis anos, entre 2011 e 2017.

"O que vi hoje foi a frustração da Carolina do Sul com o rumo do nosso país. Já tinha visto essa mesma frustração a nível nacional", disse a antiga embaixadora na ONU durante a administração de Trump.

"Não acredito que Donald Trump possa derrotar Joe Biden", disse Haley, acrescentando mais tarde: "Eu disse no início desta semana que não importa o que aconteça na Carolina do Sul, continuaria na corrida".

A conservadora de 52 anos prometeu não desistir pelo menos até 05 de março, dia conhecido como "Super-terça-feira", quando 15 estados serão chamados às urnas, incluindo a Califórnia e o Texas, os maiores do país.

"Não sobreviveremos a mais quatro anos de caos de Trump", avisou Haley, dando como exemplo a polémica criada pela comparação feita pelo magnata entre os 91 casos judiciais de que é acusado e a discriminação sentida pelos afro-americanos.

"Este é o caos que acompanha Donald Trump e este tipo de comentários ofensivos continuarão todos os dias até às eleições", disse Haley.

De acordo com a imprensa norte-americana, com mais de 85% dos votos apurados, Trump tinha cerca de 60% dos votos nas primárias do Partido Republicano na Carolina do Sul, contra 40% de Haley.

Com esta vitória, Trump garante os 50 delegados deste estado e fica mais perto de ser declarado o candidato oficial do Partido Republicano para as eleições presidenciais de novembro, após vitórias nos estados de Iowa, New Hampshire e Nevada e nas Ilhas Virgens.

"Todos os dias somos recordados da ameaça que Donald Trump representa para o nosso futuro enquanto os norte-americanos lutam com os danos que ele deixou para trás", alertou no sábado à noite o Presidente norte-americano, em reação aos resultados.

Joe Biden lembrou que o republicano "se vangloria" de ser responsável pela revogação da lei que há 50 anos garantia o acesso ao aborto como um direito a nível federal.

"Ainda estamos a reconstruir a economia depois de Trump ter perdido milhões de empregos bem remunerados", disse o democrata, recordando também o ataque ao Capitólio em janeiro de 2021.

Os EUA "acreditam na defesa da nossa democracia, na luta pelas nossas liberdades pessoais e na construção de uma economia que dê a todos uma oportunidade justa", disse o chefe de Estado.

Em seguida, apelou à união dos republicanos, democratas e independentes "que partilham o nosso compromisso com os valores fundamentais da nossa nação".

Leia Também: Trump vence primárias Republicanas na Carolina do Sul por larga vantagem

"50 anos depois do 25 de Abril, Portugal é uma democracia consolidada, é uma democracia integrada na União Europeia, num clube de democracias. Não há riscos particulares para a democracia em Portugal", disse.

António Costa Pinto falava à agência Lusa, em Caracas, no âmbito de um ciclo de conferências sobre a Revolução dos Cravos que marcou o início das celebrações locais para assinalar os 50 anos do 25 de Abril de 1974, tendo sido o conferencista convidado.

"Não há riscos particulares para a democracia em Portugal. As próprias mudanças no sistema partidário e nas atitudes eleitorais dos portugueses expressam dinâmicas mais gerais que atravessam, digamos, a maior parte das democracias da União Europeia", disse o também professor da Universidade de Lisboa.

António Costa Pinto sublinhou ainda que "não há nenhum perigo em particular para a democracia".

"Os partidos vão mudando, os desafios no passado estiveram à esquerda e até no passado estiveram na esquerda radical. Hoje estão mais na direita radical enquanto desafio para a democracia, mas não é de crer que haja qualquer problema grave para a democracia portuguesa", disse.

Sobre o 25 de Abril de 1974, explicou que "foi o movimento pioneiro de democratização, da chamada 'terceira vaga de democratizações'".

"O que começou em Portugal também se passou em Espanha, também se passou na Grécia e mais tarde na América Latina, em África. Portanto, Portugal abriu uma vaga de mudanças de regime político, neste caso, uma vaga de democratizações. Estamos a falar há 50 anos", disse.

Segundo António Costa Pinto, "o 25 de Abril significou para o mundo algo que era relativamente já raro, que é uma revolução democrática". Mas "não foi apenas uma democratização. Isso muitos países tiveram", assinalou.

"Foi uma revolução democrática. Significou a rejeição da ditadura com uma forma muito afirmada (...) eu creio que essa é, sobretudo, a lição para o mundo que, como é evidente, sofre hoje novas clivagens, novos regimes autoritários. O grande desafio, que muitas vezes é para o mundo, o radicalismo populista de direita para muitas democracias, o 25 de Abril vai ficar como uma lição de uma revolução democrática", disse.

Para os luso-venezuelanos, explicou, tem uma importância dupla: "por um lado, deram um clima de liberdade de mobilidade, as suas origens estão hoje num país bem mais desenvolvido e, por outro lado também a nacionalidade portuguesa permite-lhes (...) uma muito maior mobilidade, uma muito maior liberdade que alguma vez o permitiu no passado".

Explicou ainda que "as comunidades de origem portuguesa e portuguesa pelo mundo têm memórias diferentes do 25 de Abril".

"Uma coisa é a memória, por exemplo, de uma parte das comunidades portuguesas do Rio de Janeiro, ou de França, ou de outros países, tendo em vista que a emigração portuguesa assume um caráter muito global", detalhou.

"Mas (...) para a comunidade de luso-venezuelana o 25 de Abril deu-lhes e abriu-lhes sobretudo uma perspetiva de, não só poderem contar com Portugal, coisa que nem sempre aconteceu no passado, como também terem aquilo que se podia chamar um muito maior orgulho nas suas origens, porque as suas origens são hoje, estão hoje, representadas num país que é um país democrático, livre, desenvolvido", concluiu.

As conferências sobre o 50.º aniversário da Revolução do Cravos tiveram lugar em Maracay, na Universidade Pedagógica Experimental Libertador e em Caracas, na Universidade Central da Venezuela e na Universidade Católica Andrés Bello, e marcaram, localmente, o início de um ano de comemorações do 25 de abril.

Leia Também: Povo é protagonista da peça '25 de Abril, Sempre!' em digressão pelo país

"A violência policial desta tarde [de sábado] contra os manifestantes, incluindo as famílias dos reféns, é perigosa, antidemocrática e não pode continuar", disse o antigo primeiro-ministro de Israel na rede social X (antigo Twitter).

Lapid afirmou que "o direito de protestar é um direito fundamental" e defendeu que "não se pode lidar com manifestantes usando bastões e canhões de água".

Milhares de manifestantes concentraram-se no sábado em frente ao quartel de Kirya, em Telavive, num protesto em que também foi exigida a demissão do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

A manifestação, durante a qual foi respeitado um minuto de silêncio em memória dos mais de 500 militares mortos desde 07 de outubro, contestou também a lei que liberta os estudantes ultraortodoxos do serviço militar.

Apesar da participação de milhares de pessoas, a adesão ao protesto ficou abaixo dos níveis registados na campanha contra a reforma judicial proposta por Benjamin Netanyahu, realizada antes do início da guerra contra o movimento islamita palestiniano Hamas.

Na manifestação participou ainda o ex-ministro da Defesa Moshe Yaalon, que atribuiu ao Presidente israelita as responsabilidades pelo ataque do Hamas em 07 de outubro.

"A responsabilidade dos chefes da Defesa é clara (...), pelo que os deixemos lutar com paz mental, mas o senhor Netanyahu é responsável, pelo que também é culpado", argumentou.

A guerra em Gaza foi desencadeada por um ataque sem precedentes do Hamas em solo israelita, em 07 de outubro, que, segundo as autoridades israelitas, causou cerca de 1.200 mortos e mais de duas centenas de reféns, 134 dos quais permanecem cativos.

Em represália, Israel lançou uma ofensiva na Faixa de Gaza que já provocou mais de 29 mil mortos, de acordo com o Hamas, que controla o território desde 2007.

Leia Também: Países islâmicos anunciam plano para combater desinformação israelita

O épico de Christopher Nolan 'Oppenheimer' triunfou esta madrugada nos Prémios do Sindicato dos Atores, em Los Angeles, cimentando o favoritismo na corrida aos Óscares depois de ganhar quase tudo esta temporada.

A produção milionária da Universal Pictures recebeu a estatueta de Melhor Elenco em Filme -- o prémio mais cobiçado -- na 30ª edição dos SAG Awards, que pela primeira vez foram transmitidos ao vivo na plataforma Netflix. 

"Este é um momento de círculo completo para nós", declarou o ator Kenneth Branagh, que falou em nome dos atores de 'Oppenheimer', lembrando que a última vez que estiveram todos juntos foi na estreia do filme a 14 de julho, pouco antes do início da greve que paralisou Hollywood em 2023.

"Não vimos o filme e saímos da passadeira vermelha em direção à solidariedade convosco", disse Branagh. "Receber este reconhecimento num ano de conquistas espetaculares por parte de toda a gente nesta sala, os nossos amigos e heróis atores, significa tudo para nós", acrescentou.

'Oppenheimer' chegará aos Óscares, a 10 de março, com 13 nomeações e um rol extenso de vitórias. 

Antes da consagração final nos prémios SAG, o protagonista Cillian Murphy já tinha vencido a estatueta de Melhor Ator Principal pela interpretação de J. Robert Oppenheimer.

"Isto é extremamente especial para mim porque vem de vocês", disse Murphy, ecoando o sentimento que os vencedores foram expressando ao longo da noite por serem reconhecidos por pares. 

"Este foi o melhor grupo de atores com que alguma vez tive o prazer de trabalhar", afirmou, lembrando que há 28 anos, quando começou a tentar seguir a carreira de ator, era um "músico falhado". 

Também Robert Downey Jr. ganhou a estatueta de Melhor Ator Secundário pelo seu papel em 'Oppenheimer', no qual interpretou Lewis Strauss. 

"Porquê eu, porquê agora? Porque é que as coisas estão a correr-me de feição?" questionou Downey Jr., que tem vencido repetidamente na temporada e apostado no humor nos discursos. "Ao contrário dos meus colegas nomeados, nunca me vou fartar de ouvir o som da minha própria voz", gracejou. 

Na categoria de Melhor Atriz Principal, foi Lily Gladstone quem arrebatou a estatueta que noutras cerimónias foi entregue a Emma Stone por 'Pobres Criaturas'. 

Num triunfo que pode sinalizar a direção da Academia, Gladstone foi distinguida pelo papel de Mollie Burkhart em 'Assassinos da Lua das Flores', o épico de Martin Scorsese. 

A atriz de origem indígena iniciou e encerrou o seu discurso de aceitação com palavras na língua Blackfeet, da tribo com o mesmo nome a que a pertence. 

"Meus caros atores, sinto o bom naquilo que vocês fizeram, naquilo que fazem", afirmou Gladstone. "Este foi um ano difícil para todos nós", lembrou, numa menção à greve de quase quatro meses.

"É verdadeiramente uma dádiva podermos viver disto, essa é a vitória", considerou. "Trazemos empatia a um mundo que precisa muito dela", sublinhou. "Nós continuamos a sentir, de forma corajosa, e isso humaniza as pessoas, tira-as das sombras e dá-lhes visibilidade", acrescentou.

A atriz urgiu os contadores de histórias a "continuarem a dizer as suas verdades e a falarem uns pelos outros".

A Melhor Atriz Secundária voltou a ser Da'vine Joy Randolph, por 'Os Excluídos', continuando a tendência de outras cerimónias -- Critics Choice Awards, Globos de Ouro e BAFTA. 

A atriz fez um discurso de aceitação apaixonado em defesa da profissão e dos sonhos daqueles que ainda não conseguiram chegar onde desejam. 

"Em que outra profissão poderíamos viver tantas vidas", questionou. "Acordo todos os dias cheia de gratidão por ser uma atriz com trabalho", disse. 

Randolph foi distinguida pela interpretação de Mary Lamb no filme de Alexander Payne. "Para todos os atores que ainda estão por aí à espera, a vossa vida pode mudar num só dia. Continuem", exortou. 

Barbra Streisand recebeu ainda o Prémio Carreira e foram entregues várias estatuetas em televisão.

Leia Também: A passadeira vermelha da gala dos People's Choice Awards

É a estatueta que equivale a prémio de melhor série do ano numa cerimónia onde são os atores que premeiam outros atores. 

"Um último viva", disse Alan Ruck, que deu corpo a Connor Roy durante quatro temporadas e fez o discurso de vitória em nome de todo o elenco. 

"Vocês estão a olhar para algumas das pessoas mais sortudas do planeta, e algumas das mais gratas", afirmou o ator, considerando que 'Succession' foi uma das melhores séries de sempre da televisão. 

"A magia de 'Succession' é que a escrita era tão fabulosa que nos inspirou todos a trazermos as melhores prestações desde o início", continuou. "Conseguimos apanhar um relâmpago dentro de uma garrafa", acrescentou.

Esta edição dos SAG Awards foi transmitida, pela primeira vez, na plataforma de streaming Netflix, o que significou ausência de intervalos comerciais e maior flexibilidade nos discursos. 

Nas categorias de interpretação, os prémios em drama foram divididos: Elizabeth Debicki levou a estatueta de Melhor Atriz em Série Dramática por 'The Crown' e Pedro Pascal venceu Melhor Ator em Série Dramática por 'The Last of Us'. 

Ao aceitar, Pascal protagonizou um dos discursos mais inusitados da noite. Disse que estava bêbedo e usou um palavrão para expressar o seu contentamento, aproveitando que a Netflix não tem as mesmas regras de linguagem que os canais generalistas. 

"Não consigo lembrar-me dos vossos nomes agora", admitiu, lembrando que faz parte do Sindicato dos Atores desde 1999. "Vou ter um ataque de pânico e vou-me embora", acrescentou.

Em comédia, tudo como esperado tendo em conta as tendências da temporada de prémios: 'The Bear' venceu Melhor Elenco, Melhor Ator (Jeremy Allen White) e Melhor Atriz (Ayo Edebiri). 

"Sinto-me tão honrado por fazer parte desta comunidade", expressou Jeremy Allen White. "Quis fazer parte desta comunidade toda a minha vida. Não tinha plano B", revelou o ator, que começou muito cedo na carreira. 

White disse sentir-se "incrivelmente emocionado" por estar em palco a receber o reconhecimento dos seus pares. 

Ayo Edebiri ecoou o sentimento de gratidão e disse que estar ali a ser premiada era "de loucos". 

Na categoria de Filme para Televisão ou Minissérie, 'A Rixa' voltou a ganhar, tal como nas outras entregas de prémios da temporada. Ali Wong, que foi Melhor Atriz, agradeceu à mãe de 83 anos a paciência que teve com ela quando lhe disse que queria fazer comédia 'stand-up'. 

Steven Yeun, Melhor Ator na mesma categoria e pela mesma série, recordou como o primeiro emprego como ator que lhe permitiu entrar no Sindicato dos Atores foi um anúncio para uma marca de chocolates. 

"Senti-me tão entusiasmado por receber aquele cartão quanto por receber agora este prémio", gracejou. 

Numa cerimónia com apresentação de Idris Elba que durou pouco mais de três horas, Barbra Streisand recebeu o Prémio Carreira e mostrou-se emocionada pela distinção. 

"Lembro-me de sonhar em ser atriz quando era adolescente, sentada no meu quarto em Brooklyn a comer gelado de sabor a café e a ler uma revista de cinema", contou. "De alguma forma, tudo se realizou", acrescentou.

Membro do Sindicato dos Atores há mais de 60 anos, Streisand frisou que é "um privilégio" fazer parte desta profissão e lembrou que muitos dos criadores da indústria chegaram a Hollywood fugidos da perseguição aos judeus na Europa. 

"Sonho com um mundo onde tais preconceitos são coisas do passado", afirmou Streisand. "Sempre acreditei no poder da verdade", acrescentou.

Leia Também: Machine Gun Kelly fala sobre aborto que Megan Fox sofreu

O tema deste ano da semana nacional da instituição tutelada pela Igreja católica é "Cáritas, O Amor que Transforma", e as várias iniciativas programadas para estes dias irão "dar cara" a todos os que procuram diariamente a ajuda do organismo, que atende anualmente mais de 120 mil pessoas.

Em declarações à agência Lusa, a presidente da Cáritas Portuguesa recordou que no anterior peditório nacional foram angariados mais de 219 mil euros, entre cerca de 163 mil euros nos donativos de rua e outros 56 mil euros 'online', um valor aquém das necessidades da rede nacional.

"Quem doa também está a ser afetado pelas dificuldades da economia, quer pelo aumento do custo de vida, quer pelas taxas de juro, e isso vai, naturalmente, influenciar os donativos", sublinhou Rita Valadas.

A presidente da Cáritas Portuguesa afirmou que gostaria que isso não acontecesse este ano, sublinhando que a "Cáritas está a precisar que seja um ano bom", tendo em conta que "há muitas pessoas em situação de grande dificuldade e muita desesperança".

Referiu também que gostaria que o organismo conseguisse "dar o próximo salto" e trabalhasse na integração, uma vez que isso significaria que a atuação de emergência tinha deixado de ser a "missão do dia-a-dia" e que as pessoas tinham encontrado outros caminhos.

"Esta campanha é especialmente significativa e é muito importante que as pessoas percebam que, às vezes, mesmo que seja um apoio que possam dar com pouco valor, pode fazer toda a diferença", disse a responsável, apontando que se cada pessoa doasse um euro, o valor angariado rondaria os 10 milhões de euros.

Rita Valadas apontou que o valor angariado no peditório é depois distribuído pelas 20 cáritas diocesanas, cada uma com situações de emergência diferentes às quais têm de atender, mas que tem incluído ajudas no pagamento de contas de água, luz, gás, medicamentos ou mesmo do valor da renda de casa.

Referiu que há programas próprios e "urgências repentinas" que também são apoiados com as verbas do peditório, dando como exemplo o facto de haver cada vez mais grupos de imigrantes "que aparecem sem nada e recorrem aos serviços da Cáritas em situação de emergência para questões como alimentação e roupa".

Rita Valadas referiu que a Semana Nacional arranca no domingo e prolonga-se até 03 de março, data em que é assinalado o Dia Nacional Cáritas, tendo outras iniciativas previstas a decorrerem em todas as dioceses e em várias paróquias.

Um dos eventos que vai marcar a semana é a apresentação de um estudo nacional dedicado às questões da pobreza, um momento que, para a presidente da Cáritas, reveste-se de particular importância já que "muitas vezes os números que saem sobre a pobreza não condizem" com aquilo que o organismo constata no terreno.

"Quando falamos de pobreza, pensamos numa coisa global, mas dentro da pobreza há níveis de severidade muito diferentes e naturalmente temos que trabalhar de maneira diferente, dependendo do nível de severidade e das necessidades que as populações têm", defendeu.

Leia Também: Cáritas promove semana nacional com peditório e estudo sobre pobreza

Apesar do ataque, que aconteceu às 00h26 de hoje (21h26 de sábado em Lisboa), a 70 milhas náuticas (130 quilómetros) da cidade de Djibuti, o navio prosseguiu para o próximo porto de escala, referiu a agência britânica de segurança marítima UKMTO.

Num comunicado publicado na rede social X (antigo Twitter) a UKMTO, sob a tutela do exército britânico, acrescentou que "os navios são aconselhados a transitar com cautela e comunicar qualquer atividade suspeita".

O Golfo de Áden e o Mar Vermelho têm sido palco, desde outubro, de ataques dos rebeldes Huthis do Iémen, que têm como alvo navios que consideram ligados a Israel, alegando estar a tentar apoiar os palestinianos na Faixa de Gaza, alvo de uma ofensiva militar israelita em retaliação contra um ataque do movimento islamita Hamas.

Em resposta, as forças dos EUA, em colaboração com o Reino Unido, iniciaram ataques contra os Huthis, em diferentes regiões do Iémen controladas por este movimento, algo que levou os rebeldes a estenderam as ações a navios destes dois países.

Washington e Londres efetuaram no sábado 18 ataques contra oito instalações distintas dos Huthis, em resposta aos disparos deste movimento xiita apoiado pelo Irão contra navios no Mar Vermelho, anunciou o Pentágono.

Em Saná, a capital iemenita, foram sentidas fortes explosões, indicou a agência de notícias France-Presse.

Fonte militar local confirmou estes ataques norte-americanos e britânicos, que, segundo um comunicado do Pentágono (o Departamento de Defesa dos Estados Unidos), foram efetuados com o apoio de outros seis países: Canadá, Austrália, Bahrein, Dinamarca, Países Baixos e Nova Zelândia.

Nas últimas semanas ocorreram outras operações semelhantes contra território iemenita, com a primeira a ser desencadeada na noite de 11 para 12 de janeiro.

Em Washington, e pouco depois desta ação militar, o secretário da Defesa dos EUA, Lloyd Austin, assegurava que os Huthis vão "sofrer as consequências" dos seus ataques no Mar Vermelho e Golfo de Áden.

"Os Estados Unidos não hesitarão em passar à ação, se necessário, para defender as vidas humanas e o livre comércio", disse.

Em Londres, o Ministério da Defesa confirmou a participação da Força Aérea nos ataques, precisando que quatro caças-bombardeiros Typhoon foram mobilizados, e ainda dois aviões de abastecimento.

A tensão na zona tem obrigado as principais empresas de navegação a ajustar as suas rotas para evitar a passagem no Mar Vermelho, por onde transita 8% do comércio mundial de cereais, 12% do comércio de petróleo e 8% do comércio mundial de gás liquefeito.

Leia Também: EUA alertam para desastre ecológico após ataque dos Hutis contra navio

Divididos em 20 turmas, os cerca de 500 alunos do curso de agentes da Escola Prática de Polícia (EPP), em Torres Novas, passam os dias entre as aulas teóricas e práticas, como educação física, técnicas de intervenção policial, defesa pessoal e tiro.

É nestas aulas práticas que os futuros polícias da PSP simulam situações muito próximas da vida real, que os prepara para a rua e dificuldades que vão enfrentar quando chegarem a uma esquadra da região de Lisboa, onde vão ser colocados quando terminaram o curso, no final de junho.

A Lusa passou um dia na EPP e acompanhou algumas dessas aulas: futuros polícias a aprenderem a defender-se de agressores, a algemarem um suspeito e a darem os primeiros tiros naquela que será a arma durante a carreira, tudo acompanhado de muita disciplina e rigor.

"A disciplina, o rigor, é sempre muito tido em conta desde o primeiro dia. Os alunos também são avaliados nessa vertente. Têm uma nota de mérito que interfere na classificação final, porque um polícia no futuro, para além de fazer cumprir as regras, têm que ser cumpridor essencialmente de regras", disse à Lusa a diretora de formação da EPP, Elisa Borges.

A oficial conta que os futuros agentes têm consciência do risco da profissão e daquilo que os espera em Lisboa: "Todos os formadores são profissionais já como muitos anos de terreno e transmitem o risco e situações práticas que aconteceram na vida deles. Vão daqui capacitados, que é uma vida dura, com sacrifício, com risco".

Este risco e espírito de missão e sacrifício já está bem presente nos futuros agentes que entraram na escola em novembro do ano passado como é o caso de Rui Martins, 22 anos, que desde criança sonha em ser polícia: "Estar na escola a tirar o curso de agente é a realização de um sonho".

O jovem de Tavira conta à Lusa que desde cedo contacta com a atividade da PSP e com polícias da área de residência e o facto de ter um primo polícia no Brasil foram fatores determinantes e decisivos para escolher esta profissão e, mesmo os baixos salários, não o impediram de concretizar o sonho de ser polícia.

"Tudo está em constante evolução. Se formos ver a condição laboral que os polícias tinham há 10, 20, 30 anos atrás, podemos inferir que houve uma grande evolução e cabe-nos a nós também, dentro das nossas possibilidades, legalidade e legitimidade que nos é atribuída lutarmos pelas nossas condições", diz, admitindo que quando chegou à EPP teve "um choque de realidade pela disciplina do próprio regime", mas garante que aquilo que o move é a vocação de ser agente.

Ser polícia desde criança não era a ambição de Luís Almeida, 28 anos, mas escolheu ser agente pela vontade de ajudar os outros e pela oportunidade que agora surgiu ao ter aumentado a idade para ingressar na PSP.

"Sempre procurei algo que trouxesse responsabilidade, que tivesse aceitação das pessoas e de ajudar o próximo e senti que a profissão de polícia respondia a essa ambição. Já tinha exercido várias profissões anteriormente. Neste momento queria procurar uma profissão mais estável e a polícia foi algo que preenchia os requerimentos", conta este jovem da Amadora, que foi atleta profissional de andebol.

Luís Almeida conhece os riscos da profissão, mas diz que quando se faz "as coisas com gosto, prudência e cuidado necessário" tudo é possível.

Maria João, 28 anos, trocou o terceiro ano do curso de enfermagem pela profissão de polícia, uma influência do pai, que é militar da GNR.

"Eu sempre tive duas ambições ou ser enfermeira ou polícia, mas a paixão pela profissão de polícia despertou-me e decidi concorrer e tive a sorte de ingressar neste curso", afirma a jovem de Loures, que está consciente dos baixos salários e do risco da profissão, mas "nada disso impediu" o ingresso na PSP.

"Vele muita a pena hoje em dia ser polícia", conta.

Também filha de um PSP, Marta Alves, 22 anos, escolheu a profissão por influência do pai: "Tenho muitos familiares na polícia e é principalmente aí que vem a vontade de ser polícia, sempre foi a minha ideia ser polícia, ao conviver com o meu pai, meu tio. Sempre tive essa admiração pela profissão".

Mesmo com as queixas dos baixos salários, a jovem de Loures não desistiu por ser "mesmo uma questão de gosto e admiração". "Tal como em todas as profissões, há sempre lados menos bons, mas ele [pai] sempre me incentiva mais no lado positivo".

Já Márcia Policarpo, 25 anos, de Lisboa, conta à Lusa que foi através dos bombeiros e da licenciatura de políticas de segurança que descobriu o interesse em ser polícia e confessa que encontra na PSP uma instituição onde pode progredir na carreira.

"É muito bom para os jovens porque na PSP há a Unidade Especial de Polícia e o instituto para quem quiser continuar a estudar, quiser ter uma licenciatura ou um mestrado. Dentro da PSP há várias oportunidades", frisa.

Os alunos que frequentam a EPP têm que se candidatar e passar em diferentes provas de conhecimentos, físicas, testes psicotécnicos e entrevista profissional. Neste momento está a decorrer, até terça-feira, um novo concurso para admissão ao curso de agentes.

Nos últimos anos, tem diminuído a atratividade da profissão e, segundo dados a que a Lusa teve acesso, em 2012 eram mais de 10.000 os candidatos ao curso de agentes, passando para pouco mais de 3.000 em 2023.

A diretora de formação da EPP não sabe o que é necessário fazer para alterar esta situação. "Muito sinceramente não sei, porque tem que ser inerente à própria pessoa. Se as pessoas não têm vontade de serem polícias e não tiverem essa expectativa de vida, dificilmente conseguiremos captar a atenção. Acredito que provavelmente as pessoas não estão motivadas para ter uma profissão onde impera a disciplina, rigor, espírito de missão e sacrifício. Às vezes não é fácil para um jovem com 18 ou 20 anos decidir-se por isso é muito mais fácil ir para uma universidade".

Elisa Borges admite que o risco e as condições de trabalho tenham influência na atratividade, mas realça que dentro da PSP se pode progredir na carreira e tirar cursos que "podem levar a ganhar mais algum dinheiro".

"Os polícias nunca ganharam bem e no meu caso pessoal, essa não era a parte mais importante", diz ainda a oficial que está há 38 anos na PSP.

Leia Também: Menos 67% de acidentes rodoviários em janeiro do que no mesmo mês de 2023

Eduardo Bolsonaro denunciou que, "sob a narrativa de proteger a democracia, tiranos esmagaram a oposição no país", referindo-se ao sistema judicial brasileiro, ao atual Governo liderado por Luiz Inácio Lula da Silva e também à imprensa.

O deputado proferiu um discurso de cinco minutos na Conferência da Ação Política dos Conservadores (CPAC, na sigla em inglês), o maior encontro anual da direita americana que terminou no sábado e que a agência Lusa acompanhou em Maryland.

"Meus amigos, faço um apelo: falem do que está a acontecer no Brasil. (...) Congressistas norte-americanos, pedimos uma audiência no vosso Congresso. Vocês são os líderes do mundo livre, ajudem-nos a expor esta tirania", instou.

O deputado brasileiro discursou na CPAC logo após o ex-chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, a quem classificou como o "próximo Presidente dos Estados Unidos", e imediatamente antes do líder da Argentina, Javier Milei.

Num grande salão que rapidamente se esvaziou após o discurso de Trump, Eduardo Bolsonaro fez um relato dramático da atual situação no seu país, dando uma versão da invasão violenta das sedes dos Três Poderes, em Brasília, em 08 de janeiro de 2023, que não condiz com aquela apresentada pelas autoridades brasileiras.

"Hoje vou falar-vos de como um país perdeu a sua liberdade. (...) Polícias, advogados, veterinários, jornalistas, comediantes, pastores, intérpretes de linguagem gestual, cantores gospel, sem-abrigo, um autista (...) todos eles detidos e acusados de golpe", declarou o filho do ex-presidente perante uma plateia reduzida.

"O sistema judicial, com a ajuda da imprensa, criou a narrativa de que estas pessoas comuns eram uma ameaça para o Estado brasileiro. (...) O objetivo final deles é prender o meu pai, que ousou colocar os interesses do povo brasileiro primeiro", advogou.

Na quinta-feira, Jair Bolsonaro ficou em silêncio na Polícia Federal, em Brasília, numa inquirição no âmbito da investigação à alegada tentativa de golpe de Estado após a derrota nas eleições presidenciais de 2022.

De acordo com uma nota da Polícia Federal, a investigação envolve uma "organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado e abolição do Estado Democrático de Direito, para obter vantagem de natureza política com a manutenção do então Presidente da República [Jair Bolsonaro] no poder".

Além de atos preparatórios de um alegado plano golpista a realizar antes da posse de Lula da Silva, a autoridade policial brasileira investiga a relação de Bolsonaro com a invasão violenta das sedes dos Três Poderes, em Brasília, em 08 de janeiro de 2023, que suscitou uma forte condenação por parte da comunidade internacional.

Investigações em curso sobre os atos de vandalismo e destruição realizados nos edifícios do Congresso, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal do Brasil por milhares de apoiantes do ex-presidente brasileiro indicam que o ataque tinha como objetivos semear o caos e retirar do poder Lula da Silva, que havia tomado posse há apenas oito dias.

Contudo, a versão que Eduardo Bolsonaro contou perante a plateia ultraconservadora foi bastante diferente, argumentando que os acusados estão a ser vítimas de "tiranos" que "perderam a noção do ridículo".

Face às investigações que enfrenta, Jair Bolsonaro convocou um grande protesto para hoje em São Paulo, o qual contará com a presença de pelo menos quatro governadores e 103 congressistas, segundo a imprensa brasileira.

Perante o CPAC, Eduardo Bolsonaro afirmou que "um milhão de pessoas" irão hoje sair às ruas de São Paulo em apoio ao ex-chefe de Estado e pediu à plateia que faça as imagens do protesto correr o mundo.

Leia Também: Golpe de Estado do Brasil? Bolsonaro escolheu silêncio durante inquirição

Segundo o IPMA, o aviso laranja - o segundo mais grave de uma escala de três - vigora até às 06h00 de hoje nos distritos do Porto, Faro, Setúbal, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Beja, Aveiro, Braga e Coimbra.

Durante este período o IPMA prevê ondas de noroeste com cinco a sete metros de altura significativa, podendo atingir 12 metros de altura máxima.

O aviso vermelho passa às 06h00 para amarelo (o menos grave numa escala de três) nestes distritos, com a previsão de que a agitação marítima possa melhorar, com a previsão de ondas com quatro a cinco metros de altura.

O IPMA emitiu ainda aviso amarelo para a costa norte da Madeira e Porto Santo devido a agitação marítima até ao meio-dia de hoje, com previsão de ondas de noroeste com quatro a cinco metros de altura.

Leia Também: Agitação marítima. Há dez barras marítimas fechadas e três condicionadas

O jornal The New York Times atribui a Trump 61% dos votos contra 38% alcançados pela ex-embaixadora dos Estados Unidos junto da ONU, enquanto o canal Fox News dá 64% ao ex-governante e 35% a Nikki Haley.

Com esta vitória, Trump fica mais perto de ser declarado o candidato oficial do Partido Republicano para as eleições presidenciais de novembro.

A derrota será especialmente dura para Nikki Haley, que durante seis anos foi governadora na Carolina do Sul e tinha grandes expectativas nesta votação.

Leia Também: Trump diz que EUA perderiam eventual Terceira Guerra Mundial com Biden

Já são conhecidos os seis primeiros finalistas do 58.º Festival da Canção, que arrancou este sábado, 24 de fevereiro. Esta foi a primeira de duas semifinais e competiram dez dos 20 compositores a concurso este ano.

Das seis canções escolhidas, cinco foram através do sistema de votação habitual (metade da pontuação atribuída a um júri profissional e a outra metade ao voto do público) e uma apenas pela votação do público.

Os seis eleitos foram para competir na final foram:

(O Notícias ao Minuto esteve à conversa com os artistas. Pode seguir os links para ler as entrevistas)

No ano em que o festival celebra o 60.º aniversário, as duas semifinais e a final do concurso voltam a acontecer nos estúdios da RTP em Lisboa.

Na segunda semifinal, marcada para 2 de março, também nos estúdios da RTP em Lisboa, competem outras dez canções. Nesse dia serão escolhidas as restantes canções que disputarão a final, em 9 de março.

Na final, as votações do júri serão feitas por representantes de sete regiões de Portugal Continental e ilhas. Em caso de empate, nas semifinais prevalece a escolha do júri e, na final, a do público.

O vencedor do Festival da Canção irá representar Portugal no 68.º Festival Eurovisão da Canção, que irá acontecer em Malmo, na Suécia, em maio, 50 anos depois da primeira vitória daquele país com o tema 'Waterloo', dos ABBA.

A Suécia venceu em maio do ano passado o 67.º Festival Eurovisão da Canção, que foi disputado em Liverpool, no Reino Unido, com o tema 'Tattoo', interpretado por Loreen, que já tinha conquistado o primeiro lugar no Festival da Eurovisão da Canção em 2012, com 'Euphoria'. Esta foi a sétima vez que a Suécia venceu o Festival Eurovisão da Canção, depois dos triunfos em 1974, 1984, 1991, 1999, 2012 e 2015.

Portugal ficou no ano passado em 23.º lugar, com Mimicat e a canção 'Ai coração'. Venceu a competição em 2017, com 'Amar pelo dois', canção escrita por Luísa Sobral e interpretada por Salvador Sobral.

Leia Também: Estrelas de Hollywood assinam carta a favor de Israel na Eurovisão

Em comunicado, a Polícia de Segurança Pública (PSP) indica que em janeiro ocorreram na sua área de patrulhamento, nos centos urbanos, 4.354 acidentes com danos, menos 10% do que no mesmo mês do ano passado, e 1.205 desastres com vítimas, menos 4%.

Os acidentes registados pela PSP no primeiro mês do ano provocaram três mortos, menos 67% do em que em janeiro de 2023, 56 feridos graves (menos 25%) e 1.303 (menos 2%).

Segundo a PSP, duas das mortes resultaram de despistes e a outra de colisão.

Em janeiro, a PSP fiscalizou 54.920 condutores e controlou por radar 284.203 viaturas, que resultaram em 15.081 contraordenações, 3.525 das quais por excesso de velocidade, 1.280 por falta de inspeção periódica obrigatória, 421 por falta de seguro e 188 por condução sob o efeito do álcool.

A polícia indica que as contraordenações por excesso de velocidade correspondem a mais de 23% do total das infrações registadas.

Foram detidas 574 pessoas por crimes rodoviários, nomeadamente 285 por condução sob o efeito do álcool e 289 por condução sem habilitação legal.

A PSP sublinha que "o fator humano do comportamento" é a condição "mais relevante para a ocorrência da maioria dos acidentes de viação", seja por infração ou desrespeito pelas regras e sinais de trânsito ou perante um acontecimento inesperado.

Nas operações de fiscalização, a PSP estabelece como prioridade a condução em excesso de velocidade e sob a influência do álcool ou substâncias psicotrópicas devido às implicações diretas nos acidentes de viação, além de prestar atenção para as condutas e infrações que contribuem para a sinistralidade rodoviária e para o aumento da gravidade dos feridos, nomeadamente uso do telemóvel, não utilização de capacete de proteção e do cinto de segurança e desrespeito dos semáforos.

Leia Também: Proteção Civil alerta para possibilidade de inundações e queda de árvores

No terreno do 12.º classificado da prova, o médio ofensivo francês Mahdi Camara assinou o primeiro 'hat-trick' da sua carreira, com golos aos 33, 40 e 60 minutos, o último de grande penalidade, e manteve o Brest numa luta inesperada pela 'Champions' e, também, nesta fase, como principal rival do Paris Saint-Germain.

O Brest segue a 10 pontos do líder PSG, que ainda não entrou em campo nesta ronda, mas, sobretudo, ficou provisoriamente com vantagem de quatro sobre o Nice, terceiro, e cinco face ao Lille, equipa liderada pelo técnico português Paulo Fonseca e que está em quarto.

A formação de Eric Roy, antigo médio nos anos 90 e 2000, está imbatível para o campeonato em 2024 e perdeu pela última vez para a competição em 05 de novembro do ano passado, somando 12 jogos seguidos sem desaires.

Leia Também: Luis Enrique comenta saída de Mbappé: "Não vejo nenhuma diferença..."

Em Saná, a capital iemenita, foram sentidas fortes explosões, indicou a agência noticiosa AFP.

Fonte militar local confirmou estes ataques norte-americanos e britânicos, que, segundo um comunicado do Pentágono (Departamento de Defesa dos Estados Unidos), foram efetuados com o apoio de outros seis países: Canadá, Austrália, Bahrein, Dinamarca, Países Baixos e Nova Zelândia.

Nas últimas semanas ocorreram outros 'raides' similares contra território iemenita, com o primeiro a ser desencadeado na noite de 11 para 12 de janeiro.

Em Washington, e pouco após esta ação militar, o secretário da Defesa dos Estados Unidos da América (EUA), Lloyd Austin, assegurava que os Huthis vão "sofrer as consequências" dos seus ataques no Mar Vermelho e Golfo de Áden.

"Os Estados Unidos não hesitarão em passar à ação, se necessário, para defender as vidas humanas e o livre comércio", disse.

Em Londres, o Ministério da Defesa confirmou a participação da Força Aérea nos ataques, precisando que quatro caças-bombardeiros Typhoon foram mobilizados, e ainda dois aviões de abastecimento.

Os Huthis, que controlam a capital iemenita, Saná, e vastas zonas do norte e oeste do Iémen, lançaram nos últimos meses ataques dirigidos ao território israelita e contra navios relacionados com Israel, ou que se dirigiam a portos israelitas, e prometeram prosseguir estas ações enquanto o Exército judaico prosseguir a sua ofensiva na Faixa de Gaza, que já provocou dezenas de milhares de mortos e feridos.

Os rebeldes iemenitas também ameaçaram atacar navios norte-americanos e britânicos que se encontram na zona, em resposta aos bombardeamentos que os dois países ocidentais têm conduzido contra posições iemenitas.

Na perspetiva de Washington e Londres, estes bombardeamentos procuram impedir as operações dos rebeldes iemenitas e garantir a liberdade de navegação na região.

A tensão na zona motivou que as principais empresas de navegação continuem a ajustar as suas rotas para evitar a passagem nesta importante via, por onde transita 8% do comércio mundial de cereais, 12% do comércio de petróleo e 8% do comércio mundial de gás liquefeito.

Leia Também: EUA alertam para desastre ecológico após ataque dos Hutis contra navio

Um osteopata da região de Vosges, França, ficou em prisão preventiva por ser suspeito de violação agravada. Segundo o Ministério Público de Nancy, onde o caso está a ser investigado, quatro vítimas apresentaram queixa, avança a AFP este sábado.

"Há quatro presumíveis vítimas", disse Amaury Lacôte, procurador-geral adjunto, à agência noticiosa. "Foi-lhe decretada a prisão preventiva", acrescentou.

De acordo com o Le Figaro, que cita o jornal Vosges Matin, o osteopata foi detido na quinta-feira e está na casa dos trinta anos.

A investigação começou em julho do ano passado, quando foram apresentadas as primeiras queixas. Os crimes terão sido cometidos no seu consultório.

Leia Também: "Demite-te", "estrume". Macron recebido com vaias por agricultores

"Levantamos algumas reservas a essa captação se exigir a libertação de caudais adicionais", disse à agência Lusa o presidente da Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), em Ferreira do Alentejo, à margem de um colóquio sobre "Alterações Climáticas, Seca e Recursos Hídricos".

O Plano de Eficiência Hídrica do Algarve prevê a captação de água no rio Guadiana, a partir do Pomarão para a albufeira da barragem de Odeleite.

O projeto "está na calha", mas José Pedro Salema recordou que o Alqueva já liberta "importantes caudais para cumprir o caudal ecológico a jusante" e, nesse sentido, encontra-se "muito perto da capacidade" máxima de descarga.

"Se essa captação nos obrigar a descarregar mais água, isso é uma preocupação para nós. A manta é curta. Ou tapa os pés, ou tapa a cabeça. Se já estamos todos esticadinhos e queremos mais um pouco, vai faltar a alguém", concluiu.

O Plano de Eficiência Hídrica do Algarve prevê a captação de água no rio Guadiana, a partir do Pomarão para a albufeira da barragem de Odeleite, e a construção de uma terceira barragem no sotavento (leste) algarvio, na ribeira da Foupana.

Estão ainda em curso, no âmbito do Plano de Eficiência Hídrica do Algarve, investimentos para aumentar as reservas na região, como a construção de uma dessalinizadora em Albufeira, orçada em 90 milhões de euros, com financiamento do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e cujo concurso foi lançado na semana passada.

O Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva é garantia de água para a agricultura, com uma área de regadio com 130 mil hectares, para o abastecimento público e industrial e para a produção de energia hidroelétrica, além de potenciar o turismo na região do Alentejo.

Leia Também: Seca? AHP quer medidas pensadas e evitar consequências de pensos rápidos

A marcha, organizada pelo movimento "Acordai! Pelas nossas crianças" e com o apoio de outros movimentos cívicos conservadores, realizou-se entre o Parque Eduardo VII e o Rossio com os manifestantes de branco a pediram "deixem as crianças em paz".

"O objetivo da manifestação é abolir a ideologia de género das escolas, porque o que está a acontecer é uma violação da Constituição. O Estado está a ultrapassar os pais. A questão da ideologia de género nunca foi falada entre adultos", disse à agência Lusa Gisela Sequeira, presidente do movimento "Acordai! Pelas nossas crianças".

Gisela Sequeira afirmou que a questão da ideologia de género é atualmente transversal a todas as disciplinas e abordada desde o jardim infantil até às universidades, além de existirem manuais que dão orientação aos professores para abordarem este assunto.

A mesma responsável esclareceu que o movimento é contra a ideologia de género, mas é a favor que se aborde nas escolas a educação sexual, porque "há pais que não se sentem à vontade para falar de sexo com os filhos".

Gisela Sequeira defendeu ainda que os pais devem ser auscultados, devendo existir "uma discussão entre adultos antes de se semear a ideologia de género nas escolas".

A presidente do movimento "Acordai! Pelas nossas crianças" prosseguiu: "Isto não está a acontecer ao mesmo ritmo em todo o país, tendo já chegado a algumas escolas e a não a outras".

Os movimentos conservadores realizaram marchas em cinco cidades portugueses contra aquilo a que chamam "doutrina de género" e a lei de autodeterminação da identidade de género nas escolas.

O decreto que estabelecia as medidas a aplicar pelas escolas para assegurar o direito à autodeterminação da identidade de género e à proteção das características sexuais dos alunos foi aprovado no final do ano passado e vetado pelo Presidente da República.

O texto aprovado pela Assembleia da República previa que as escolas deveriam definir "canais de comunicação e deteção", identificando um responsável ou responsáveis "a quem pode ser comunicada a situação de crianças e jovens que manifestem uma identidade ou expressão de género que não corresponde ao sexo atribuído à nascença".

Após ter conhecimento desta situação, a escola deveria, em articulação com os pais, encarregados de educação ou com os representantes legais, promover a avaliação da situação, "com o objetivo de reunir toda a informação relevante para assegurar o apoio e acompanhamento e identificar necessidades organizativas e formas possíveis de atuação, a fim de garantir o bem-estar e o desenvolvimento saudável da criança ou jovem".

Leia Também: Movimento acusa parlamento de causar "retrocesso ético e civilizacional"

O técnico do Paris Saint Germain, Luis Enrique, falou à imprensa na antevisão para a partida contra o Rennes, neste domingo. O espanhol, de 53 anos, reconheceu que “não notou qualquer diferença em Mbappé”, apesar de tudo o que rodeou o francês devido à sua saída de Paris, além de sublinhar a importância de manter os jogadores motivados mesmo com rendimento.

“Não vejo nenhuma diferença em nenhum dos meus jogadores esta semana. O que está por vir e o que temos neste futuro imediato é um jogo muito importante para nós. Muito importante, porque temos que mostrar que ainda estamos em forma contra qualquer equipa. Somos uma equipa que vai lutar por tudo. Não podemos relaxar, como o PSG, em nenhum jogo. É o meu objetivo como treinador”, comentou Luis Enrique.

O espanhol falou também sobre a motivação dos jogadores: “Acho que é algo que já se vê há semanas, já que estamos mais distantes do segundo colocado. A possível falta de motivação é algo contra o qual devemos lutar, é uma deficiência que temos de controlar. Nosso objetivo é vencer jogos, vencer todas as competições em que participamos. Amanhã será um jogo difícil”, garantiu.

O técnico foi questionado ainda sobre uma das grandes sensações do PSG - Warren Zaire-Emery, que tem apenas 17 anos. “Sobre o Warren, é impossível dizer o que eu esperava dele, porque ele tem estado acima das expectativas. Nunca vi um jogador com tanta inteligência, para entender e compensar o que os seus companheiros fazem. É algo que quase ninguém vê. É fantástico. Ele é um jogador fundamental para nós”, afirmou.

Leia Também: Tebas aprova ida de Mbappé para o Real Madrid: "Uma grande notícia"

Leia Também: "Eu queria mesmo ir-me embora. Queria ir para o PSG com Thomas Tuchel"

A sessão extraordinária dos ministros da Informação dos países membros da OCI reuniu 20 governantes e delegados dos meios de comunicação social de 43 países, sob o tema "Desinformação e agressão da autoridade de ocupação israelita contra os jornalistas e a imprensa", referiu a agência noticiosa turca.

O comunicado final da reunião anunciou que o secretariado da OIC será encarregue de "um plano de ação para os meios de comunicação social para descobrir e combater a desinformação sobre a ocupação israelita, as notícias falsas e os crimes de guerra nos fóruns internacionais".

A mesma nota referiu que foi assumido o compromisso de "contrariar e expor as tentativas da ocupação colonial israelita de encobrir a destruição (em Gaza), intimidando os jornalistas para minimizar a reação internacional".

A reunião foi aberta pelo chefe de comunicação da presidência turca, Fahrettin Altun, e contou com uma mensagem de vídeo do Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que recordou que cerca de uma centena de jornalistas já foram mortos na guerra na Faixa de Gaza, que começou a 07 de outubro.

Durante os trabalhos da reunião, Fahrettin Altun reuniu-se com os ministros do Irão, Níger, Bangladesh, Guiné-Bissau, Somália e Chipre do Norte, indicou ainda a agência Anadolu.

A guerra entre Israel e o Hamas foi desencadeada por um ataque sem precedentes do grupo islamita palestiniano em solo israelita, em 07 de outubro, que causou cerca de 1.200 mortos e mais de duas centenas de reféns, segundo as autoridades israelitas.

Em represália, Israel lançou uma ofensiva na Faixa de Gaza que já provocou mais de 29 mil mortos, de acordo com o Hamas, que controla o território desde 2007.

Leia Também: Telavive remete 2.ª-feira ao TIJ notificação formal sobre ações em Gaza

Numa nota na página na Internet da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou o incêndio trágico de janeiro de 2028 que provocou a morte "a muitas pessoas", destacando que "uma das questões que se levantou foi a falta de licenciamento e de condições de segurança de uma coletividade".

Sublinhando "a diferença de tratamento entre estas entidades e outras de natureza diversa", a nota refere que foi tido em conta "o largo apoio parlamentar a esta medida" na promulgação do regime de regularização dos edifícios-sedes e similares das associações sem fins lucrativos.

O decreto, que teve origem num projeto-lei do PSD, foi aprovado a 05 de janeiro apenas com votos contra do PCP, abstenção do PS, IL, BE e Livre e favoráveis dos restantes partidos.

"O associativismo de cariz cultural, desportivo e recreativo tem em Portugal uma longa tradição e um forte enraizamento local, tendo desempenhado um papel fundamental na preservação e valorização das identidades e dos patrimónios territoriais e, até, da socialização e da coesão social em muitas freguesias espalhadas por todo o território nacional", referem os sociais-democratas, na exposição de motivos dos diplomas.

O diploma visa consagrar "um regime extraordinário e transitório" para que as associações legalizem, "sempre que possível e de acordo com a legislação em vigor, as suas instalações e equipamentos nos locais onde foram construídas, realizando as obras necessárias para este efeito e sujeitando-se a um processo de licenciamento de acordo com os termos e requisitos legais".

"A presente lei responsabiliza estas entidades e cria a obrigatoriedade de as mesmas apresentarem documentação específica demonstrativa da sua relevância, assim como um processo de legalização à luz dos instrumentos de gestão territorial e legislação em vigor, com parecer obrigatório das entidades com jurisdição pública", acrescentam os sociais-democratas.

Leia Também: Presidente da República promulga lei da nacionalidade após decisão do TC

"Boicotar as eleições de um despótico regime religioso não é apenas uma ação política mas também um obrigação moral para os iranianos que amam a liberdade e lutam pela justiça", indicou Mohammadi, num comunicado divulgado pela sua família na rede social Instagram.

A Nobel da Paz 2023 definiu de "ilegítima" a República Islâmica do Irão e apelou aos iranianos para "boicotarem as falsas eleições".

A ativista, que cumpre uma pena de dez anos na prisão de Evin em Teerão desde novembro de 2021, denunciou a "brutal repressão, assassinato de jovens nas ruas do país, as execuções e as detenções e torturas a homens e mulheres".

Os iranianos são convocados em 01 de março para eleger os 290 deputados e os 88 membros da Assembleia de Peritos, um organismo responsável pela eleição do líder supremo da República Islâmica.

A Assembleia de Peritos, eleita de oito em oito anos, poderá assumir uma grande importância no futuro do país devido à idade avançada de Ali Khamenei, o líder supremo do Irão, com 84 anos.

O processo eleitoral tem sido assinalado por alguma indiferença e apatia do eleitorado devido à crise económica do país, o afastamento de numerosos candidatos reformistas e o alheamento político, acentuado no rescaldo dos protestos motivados pela morte da jovem curda iraniana Mahsa Amini, que estava sob custódia policial por alegado uso indevido do 'hijab' (véu islâmico).

Os protestos, atribuídos pelo Irão a uma potência estrangeira para fomentar instabilidade interna, foram duramente reprimidos (com o registo de cerca de 500 mortos), com o regime de Teerão a endurecer as medidas de controlo sobre o vestuário das mulheres no país.

Uma recente sondagem realizada por um centro governamental indicou que apenas 30% dos iranianos inscritos devem votar nestas eleições, muito abaixo dos 42% registados no escrutínio legislativo de 2020, o mais baixo na história da República Islâmica do Irão.

Leia Também: Nobel da Paz denuncia aquisição forçada de empresas suas no Bangladesh

O Manchester City acompanha o Liverpool no topo da tabela da Premier League após a vitória deste sábado sobre o Bournemouth, decidida pelo golo de Phil Foden. No final da partida, Guardiola voltou a um tema que tem sublinhado repetidamente: os numerosos jogos disputados que as equipas têm de enfrentar.

O City, por exemplo, disputou oito partidas desde 26 de janeiro. Guardiola falou com bastante ironia sobre a questão do calendário:  "Muito obrigado pelo calendário. É demais. Com certeza. Mas os negócios devem continuar..."

Guardiola continuou:  "Adoro os meus jogadores. Eles são super-homens. Jogam a cada três dias. Quando as pessoas dizem: 'É possível jogar nas mesmas condições na Premier League?' Não. Jogamos mais do que todo mundo. A nossa massa adepta deve estar muito orgulhosa dos rapazes", atirou Pep. Não é a primeira vez que Guardiola critica o calendário. Em 2021, apelou até uma possível greve dos jogadores de futebol.

O treinador catalão falou ainda sobre Phil Foden, jovem inglês que já leva 16 golos. "Ele já se tornou um top jogador de futebol de nível mundial. Ele era uma criança antes e agora é um jogador de classe mundial. Ele é muito bom. Ele pode jogar em qualquer lugar", garantiu. 

Leia Também: 'Cereja' de Phil Foden deixa Manchester City perto do topo do 'bolo'

Leia Também: Phil Foden marca o 16.º golo da temporada diante do Bournemouth

Depois de muitos questionarem o facto de estar com o rosto muito inchado e de ter explicado que foi diagnosticada com endometriose, Amy Schumer voltou a falar sobre o seu estado de saúde. 

A comediante, de 42 anos, revelou que foi diagnosticada com a doença de Cushing na edição de sexta-feira do 'News Not Noise' de Jessica Yellin. 

De acordo com a CUF, "a maioria dos pacientes com doença de Cushing apresenta pequenos tumores (microadenomas) na hipófise". "Resulta da produção excessiva da hormona hipofisária chamada ACTH que por sua vez leva a uma produção de cortisol pela glândula suprarrenal acima dos níveis necessários e desejáveis para o normal funcionamento do organismo", acrescentam. 

Leia Também: Rosto Inchado? Amy Schumer reage a falatório

Num jantar-comício em Aveiro, na véspera do arranque da campanha oficial para as eleições legislativas de 10 de março, Rui Rocha considerou que um voto útil é um voto que muda o país e a IL quer mudar Portugal, algo que é "mesmo, mesmo preciso".

"Nós queremos mudar o Governo, mas queremos mudar o país, mudar o Governo só nos deixa a meio caminho da transformação que é necessário, nós temos mesmo, mesmo que mudar o país", disse, num discurso em que o apelo ao voto foi uma constante.

Insistindo no voto útil, o liberal, que hoje percorreu os distritos de Santarém, Porto e Aveiro, garantiu que quem votar na IL sabe que o partido não viabilizará, nem de forma direta nem indireta, um Governo PS.

Segundo o líder da IL, o partido tem os ingredientes necessários para mudar o país, nomeadamente coragem, ambição e energia.

A estes juntou ainda a visão que a IL tem para os rendimentos, saúde e apoio às famílias, algo que o PS não tem, acusou.

E acrescentou: "Sabemos que contamos com um país que não funciona e nós queremos mesmo mudar esse país".

A IL quer que o país mude e "mude imediatamente", concluiu.

Leia Também: "Só há uma solução para o país: apostarmos no crescimento económico"

A Força Aérea Portuguesa divulgou, este sábado, um vídeo da missão de resgate de uma mulher, de 87 anos, que ontem se sentiu mal a bordo do navio cruzeiro ‘AMBITION’, com bandeira das Bahamas, que navegava a cerca de 850 milhas náuticas - o equivalente a cerca de 1.600 quilómetros - a Sudoeste da ilha de São Miguel, nos Açores.

Recorde-se que a mulher, de nacionalidade inglesa, foi resgatada num “quadro clínico de dor aguda no abdómen e hemorragia retroperitoneal”. 

Hoje, a Força Aérea lembra que acionou um helicóptero EH-101 Merlin em alerta permanente na Base Aérea N.º 4, nas Lajes, através da Esquadra 752 – 'Fénix' ali sediada.

Já a bordo do helicóptero, "a idosa foi acolhida pelo enfermeiro militar da Força Aérea que prestou os cuidados de saúde necessários até chegar à ilha Terceira, de onde seguiu para a unidade hospitalar local". 

"A missão teve uma duração de 06h20 de voo e foi permanentemente acompanhada por um avião P-3C CUP+ da Esquadra 601 – 'Lobos', sediada na Base Aérea N.º 11, em Beja", destaca a Força Aérea. 

A missão "foi inicialmente coordenada pelo Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada que articulou a necessidade de empenhamento do meio aéreo da Força Aérea com o Centro de Coordenação de Busca e Salvamento das Lajes".

Veja o vídeo do resgate na galeria acima. 

Leia Também: Força Aérea reivindica abate de avião de deteção e vigilância russo

O Palmeiras levou de vencida o Mirassol, no Campeonato Paulista, por 3-1, na noite deste sábado. O Mirassol tinha reunido 14 pontos no grupo C do campeonato, enquanto o Palmeiras somava 21 pontos.  

Foi Rodrigo Ferreira, do Mirassol, que abriu o placar, aos 15 minutos de jogo, na sequência de um canto. Aníbal deixou tudo igual, dez minutos depois, também com um canto na sua origem. Veiga cobrou, Muralha tirou de soco, e a bola sobrou  para Luan, que cruzou para a cabeça do médio Anibal Moreno.

Já na segunda parte, Raphael Veiga virou o jogo, na cobrança de uma grande penalidade. Já nos últimos minutos, num contra-ataque, Breno Lopes sentenciou o resultado em 3-1.

O Palmeiras apurou-se para os quartos-de-final do Campeonato Paulista. O Corinthians, orientado pelo português António Oliveira, e o Ponte Preta, disputam o acesso à mesma fase no domingo à noite.  

Leia Também: Filme 'Cidade; Campo' de Juliana Rojas premiado no Festival de Berlim

"Depois de dialogar com as associações de vítimas, o Governo decidiu pagar 10.000 milhões de francos (mais de 15 milhões de euros) para ajudar as vítimas. São cerca de 10.700 pessoas", disse o representante governamental à agência de notícias EFE.

Também à EFE, o presidente da Associação de Vítimas dos Crimes de Hissène Habré, Adoumbaye Dam Pierre, afirmou que "embora o valor monetário seja irrisório, ajuda a aliviar um pouco".

"Pedimos ao Governo que encontre mais meios para pagar a totalidade das nossas indemnizações. Todas as vítimas estão a morrer", acrescentou o responsável.

Em março de 2015, um tribunal penal da capital do Chade, Ndjamena, condenou 20 agentes do aparelho repressivo de Hissène Habré por crimes de tortura e decidiu que mais de 7.000 vítimas deviam receber uma indemnização de 75.000 milhões de francos (mais de 144 milhões de euros).

Este valor devia ser pago a meias entre o Estado e os condenados, mas, até agora, as vítimas ainda não receberam nada.

Este é o único processo legal relacionado com os crimes de Habré. Em 30 de maio de 2016, as Câmaras Africanas Extraordinárias (CAE), criadas expressamente para processar o ex-ditador na capital do Senegal, Dakar, julgaram-no naquele que foi o primeiro julgamento sob o princípio da jurisdição universal de África.

Hissène Habré, o primeiro ex-chefe de Estado a ser julgado e declarado culpado nos tribunais nacionais de outro país, foi condenado a prisão perpétua por crimes contra a humanidade e crimes de guerra e tortura, incluindo escravatura sexual, depois de se terem registado, durante os seus mandatos, uns 40.000 assassinatos políticos e mais de 200.000 casos de tortura.

Quando um tribunal de recurso de Dakar confirmou a condenação de Hissène Habré, em abril de 2017, e concedeu 82.000 milhões de francos (cerca de 125 milhões de euros) de indemnização a 7.396 vítimas, o tribunal ordenou que um fundo fiduciário da União Africana (UA) angariasse o dinheiro através dos ativos do antigo ditador e solicitando contribuições.

Em 19 de setembro de 2022, a presidência do Chade escreveu ao fundo fiduciário a anunciar que o Governo lhe tinha designado 10.000 milhões de francos (mais de 15 milhões de euros), mas, segundo a União Africana, esse dinheiro não foi recebido.

Em maio do ano passado, sete organizações não-governamentais (ONG) do Chade e internacionais, entre elas a Human Rights Watch (HRW) e a Amnistia Internacional (AI), denunciaram que as vítimas ainda não tinham sido indemnizadas apesar das decisões judiciais.

Hissène Habré foi presidente do Chade entre 1982 e 1990, quando foi destituído por Idris Déby, que chegou ao poder à frente de uma rebelião armada. Morreu em abril de 2021, aos 68 anos, durante combates de rebeldes chadianos procedentes da Líbia, segundo a versão oficial.

Desde que foi derrubado, Hissène Habré exilou-se no Senegal, onde foi detido em 30 de junho de 2013 por crimes cometidos durante a sua ditadura e onde cumpriu a pena de prisão perpétua até à sua morte, aos 79 anos, vítima do coronavírus (covid-19), em agosto de 2021.

Leia Também: Presidente do Chade declara estado de emergência alimentar nacional

Duas pessoas ficaram feridas, este sábado, na sequência de dois despistes de motociclos, em diferentes zonas, no concelho de Mértola, confirmou o Notícias ao Minuto junto de fonte da Proteção Civil.

De acordo com a mesma fonte, o primeiro alerta foi dado pelas 16h04, tendo o acidente ocorrido na EN122, ao quilómetro 62, na freguesia de Espírito Santo, concelho de Mértola. Deste despiste resultou um ferido grave, que foi transportado para o Hospital de Beja.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Mértola, a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Baixo Alentejo.

O alerta para o outro despiste foi dado pelas 17h54. O acidente ocorreu na EN265, na freguesia de Santana de Cambas, concelho de Mértola. O ferido, considerado leve, também foi transportado para o Hospital de Beja. O helicóptero do INEM chegou a ser acionado, mas não houve necessidade de helitransporte, depois de se avaliar a gravidade dos ferimentos.

No local, além da equipa do INEM, estiveram os Bombeiros de Mértola, a GNR e a ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Castro Verde.

De notar que os despistes ocorreram num dia em que se desenrolou uma festa promovida pelo Motoclube de Mértola. Acredita-se que os motociclistas haviam estado no evento ou deslocavam-se para o local.

Leia Também: Retomada circulação na EN18 perto de Évora após acidente mortal

Jéssica Silva assinala que seleção feminina "está em boas mãos"Jéssica Silva assinala que seleção feminina "está em boas mãos"
  • 25/02/2024

A internacional Jéssica Silva assinalou hoje que a seleção portuguesa feminina de futebol, que reali......

Ministro lamenta que armas prometidas cheguem com atraso à UcrâniaMinistro lamenta que armas prometidas cheguem com atraso à Ucrânia
  • 25/02/2024

Metade das armas prometidas à Ucrânia pelos aliados ocidentais estão a ser entregues com atraso, dis......

Bebé palestiniano de dois meses morre de fome no norte de GazaBebé palestiniano de dois meses morre de fome no norte de Gaza
  • 25/02/2024

A ONU deu o alerta para uma "explosão" de mortes de crianças devido à falta de alimentos e de água.......

Portugal é segundo na estafeta mista na Taça do Mundo de triatloPortugal é segundo na estafeta mista na Taça do Mundo de triatlo
  • 25/02/2024

Portugal terminou hoje na segunda posição a prova de estafeta mista da Taça do Mundo de triatlo de N......

Aplicativos

Ouça no Celular

Android Iphone Windows phone BlackBerry

Top 10

top1
1. Deus Proverá

Gabriela Gomes

top2
2. Algo Novo

Kemuel, Lukas Agustinho

top3
3. Aquieta Minh'alma

Ministério Zoe

top4
4. A Casa É Sua

Casa Worship

top5
5. Ninguém explica Deus

Preto No Branco

top6
6. Deus de Promessas

Davi Sacer

top7
7. Caminho no Deserto

Soraya Moraes

top8
8.

Midian Lima

top9
9. Lugar Secreto

Gabriela Rocha

top10
10. A Vitória Chegou

Aurelina Dourado


Último Recado

Últimos Vídeos

Kizombas de Sempre
Banda do Zé - Gente do Norte

Anunciantes